Fiat Punto TwinAir: Produto anticrise

Fiat Punto TwinAir: Produto anticrise

Motor de apenas dois cilindros rivaliza com a concorrência Diesel.
Os motores a gasolina tendem a tornar-se cada vez mais pequenos, eficientes e amigos do ambiente. O propulsor TwinAir da Fiat é um dos exemplos dessa evolução. Com 875 cm3, este propulsor sobrealimentado de apenas dois cilindros consegue debitar 85 cv, revelando-se mais potente que as motorizações 1.2 e 1.4 a gasolina e até que o 1.3 Multijet, que equipam a gama Punto (binário de 145 Nm às 2000 rpm).
Ao princípio estranha-se, mas rapidamente nos habituamos ao ruído e à vibração quase semelhante a um motor de rega. Passados os primeiros quilómetros percebemos que é preciso dosear o pé no acelerador e seguir as sugestões do indicador de mudança de velocidade para reduzir as rotações, o ruído e, sobretudo, os consumos. Se assim for, se tirarmos também partido do ‘start/stop’ e da tecla eco (reduz a potência) o Punto TwinAir consegue médias na casa dos 6,4 l/100 km (a marca anuncia 4,2 l/100 km). Agora, se preferirmos uma condução mais ‘racing’, então as médias disparam para cima dos 7,5 l/100 km, o que mesmo assim não é nada mau.
Aliás, se atendermos apenas às médias finais, o Punto TwinAir não rivaliza grandemente com as opções Diesel homólogas, mas ao introduzirmos outros factores, como preço, qualidade e equipamento, então não há dúvidas quanto às vantagens desta proposta.
Ainda para mais, a Fiat decidiu promover esta versão dotando-a de um nível de equipamento topo de gama, com vários elementos decorativos desportivos, volante em pele, rádio CD com MP3 e sistema "Blue&me", jantes de liga leve, faróis de nevoeiro, entre outros itens, por um preço na casa dos 15 750 euros (versão cinco portas).
Quanto às características que fazem deste um modelo já com sete anos de sucesso, mantêm-se na plenitude: facilidade de condução, agilidade, economia, habitabilidade e algum conforto.
Em suma, uma agradável surpresa, que vale a pena ter em conta.