Prisão preventiva para arguida que burlou vários idosos

Prisão preventiva para arguida que burlou vários idosos
Uma mulher, que induziu vários idosos em erro para se apropriar ilicitamente de dinheiro das vítimas, ficou em prisão preventiva, indiciada por 14 crimes de burla qualificada, foi hoje divulgado.
 
Segundo a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), a arguida abordava "pessoas de idade avançada, na rua ou nas suas casas, e fazendo-se passar por amiga de conhecidos ou de familiares, por vizinha ou por funcionária de seguradora, conseguia induzi-las em erro de forma a obter a entrega de quantias em dinheiro das quais se apropriava ilicitamente".
 
Os crimes ocorreram entre 07 de julho de 2014 e 18 de junho de 2015, em Lisboa, Cascais, Parede e Amadora.
 
O processo agregou 15 inquéritos que permitiram identificar e recolher prova de todos os factos, adianta a PGDL.
 
A arguida ficou em prisão preventiva - a mais gravosa das medidas de coação imposta pelo juiz - por "receio da continuação da atividade criminosa".
 
A investigação prossegue sob a direção da 4.ª seção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.