Prisão de Caxias melhora condições de alojamento para reclusos

Prisão de Caxias melhora condições de alojamento para reclusos

O Estabelecimento Prisional de Caxias inaugurou novas instalações, que têm agora condições dignas de alojamento dos reclusos, que foram os autores das obras.

Depois de um ano de obras, os reclusos do 3.º piso direito podem, a partir de hoje, ficar alojados em novas celas, concluindo-se a primeira fase de um projecto que só deverá estar concluído em 2014, e que vai quase duplicar a capacidade de lotação do estabelecimento, de 270 para 505 lugares.

A segunda fase de obras - a de requalificar o 3.º piso esquerdo - arranca em Outubro, e deverá estar concluída em Setembro de 2013. A última fase será a de renovar o 2.º piso direito e o rés-do-chão.

Com 369 reclusos, mas apenas com 270 lugares, alguns pisos do estabelecimento estavam fechados por falta de condições e, para pôr fim ao "problema" da sobrelotação, decidiu-se arrancar com as obras de requalificação.

"Além da recuperação das instalações, isto tem uma vertente de reinserção social dos reclusos, dando-lhes as aprendizagens que eles vão adquirindo ao longo do processo, ao mesmo tempo que ficam com melhores condições para habitarem", afirmou à Lusa a directora do EPC, Maria Hermínia Pacheco.

Para a directora, que assumiu funções em Caxias em 2010, era "impensável" que os reclusos continuassem ali, nas condições em que estavam.

Ao todo, participaram na obra 15 reclusos que receberam uma remuneração de 7,5 euros por dia, e a aquisição de materiais implicou um investimento de cerca de 200 mil euros.

O Estabelecimento Prisional de Caxias (EPC), situado no concelho de Oeiras, está vocacionado essencialmente para reclusos preventivos, oriundos das comarcas de Amadora, Cascais, Oeiras, Sintra e ainda da Zona Prisional da PJ Lisboa.