'Primavera Literária Brasileira' vai passar por Lisboa, Sintra, Óbidos e Évora

'Primavera Literária Brasileira' vai passar por Lisboa, Sintra, Óbidos e Évora
A quarta edição da Primavera Literária Brasileira, espaço de discussão literária em torno da língua portuguesa, passa este ano por Lisboa, Óbidos, Évora e Sintra, contando com a participação de mais de 30 escritores e ilustradores, segundo a organização.
 
A "Printemps Littéraire Brésilien" começou na segunda-feira, na Sorbonne, em Paris, chega à capital portuguesa a 30 de março, e estende-se até dia 05 de abril, em quatro países europeus - França, Bélgica, Espanha e Portugal --, onde promoverá debates, leituras, saraus literários, lançamentos de livros e ateliês de escrita criativa.
 
Ao todo serão 34 romancistas, contistas, dramaturgos, poetas e ilustradores que participarão nesta edição da primavera literária brasileira, a acontecer em livrarias, centros culturais, espaços institucionais e de ensino das cidades europeias de Paris, Bruxelas, Barcelona, Lisboa, Óbidos, Évora e Sintra.
 
Em Portugal, os primeiros encontros têm lugar no dia 30 de março: "Diálogos Literários", na Universidade Nova de Lisboa, "Literatura Brasileira Contemporânea em debate: algumas vozes femininas", na Universidade de Évora, e "Nas Margens: periferia e intervenção na literatura brasileira contemporânea", na Universidade de Lisboa.
 
Ao fim do dia, haverá a "Abertura oficial das atividades do 'Printemps Littéraire Brésilien' em Portugal", sob o mote "Nós falamos a mesma língua".
 
No dia 31, os encontros passam pela Universidade Lusófona para discutir a "Pluralidade e diversidade da literatura brasileira contemporânea" e pela Livraria Ferin, onde os intervenientes vão versar sobre o tema "De onde escrevo, de onde falo".
 
No sábado seguinte, dia 01 de abril, será a vez de a Livraria Ler Devagar receber "O escritor e suas leituras" e de a Biblioteca Municipal de Sintra acolher "O livro para a infância lá e cá".
 
Ao final do dia, a Fábrica Braço de Prata abre as portas para ouvir falar sobre o destino da cultura -- "Para onde vai a cultura?" -- e para dar lugar a "Tertúlias luso-braileiras".
 
O encerramento das atividades do "Printemps Littéraire Brésilien" em Portugal fica a cargo da Livraria de Santiago, em Óbidos, pertencente ao dono da Livraria Ferin e da Ler Devagar, dedicado ao tema "Eventos literários formam leitores?".
 
Entre os convidados estão escritores oriundos de diferentes partes do Brasil, como Carlos Henrique Schroeder, Henrique Rodrigues, Luisa Geisler, Rodrigo Ciríaco, Franklin Carvalho, Mário Rodrigues e Julia Wähmann.
 
O "Printemps Littéraire Brésilien" inscreve-se numa perspetiva pedagógica e estende-se ao campo da promoção e da divulgação da cultura e da literatura lusófonas.
 
Trata-se de um encontro anual europeu, inicialmente idealizado para promover e ampliar a formação de estudantes em Letras, inscritos nos cursos de português em instituições europeias, explicam os organizadores, no comunicado de divulgação do evento.
 
Desde que foi criado, em 2014, pelo professor Leonardo Tónus, da Universidade Paris Sorbonne, o evento "já se consolidou como um importante espaço de discussão literária, potencializando leituras e enriquecedoras experiências culturais em torno da língua portuguesa", acrescenta.