Prémios literários Fernando Namora e Agustina Bessa-Luís entregues no Estoril

Prémios literários Fernando Namora e Agustina Bessa-Luís entregues no Estoril
Os Prémios Literários Fernando Namora e Revelação Agustina Bessa-Luís, relativos a 2015, são entregues hoje, respetivamente, a Teolinda Gersão e Ricardo Fonseca Mota, no auditório do Casino do Estoril.
 
A cerimónia de entrega do Prémio Fernando Namora/2015 a Teolinda Gersão, pela obra "Passagens", e do Prémio Agustina Bessa-Luís/2015, a Ricardo Fonseca Mota, pelo romance inédito "Fredo", tem anunciada a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes.
 
O júri dos galardões, que foi presidido pelo administrador da Fundação Calouste Gulbenkian, Guilherme d'Oliveira Martins, considerou "Passagens", de Teolinda Gersão, "uma obra que foca temas de grande atualidade, com um número muito significativo de personagens, com uma economia de texto sóbria e ponderada, assumindo uma crítica social ligada à heterogeneidade das realidades familiares contemporâneas".
 
Em ata, o júri enfatizou que Teolinda Gersão "trata o tema das passagens não apenas de cada ser humano para com os outros, mas também na relação entre a vida e a morte - numa atmosfera poética, que muitas vezes surpreende o leitor. O ideal humano e social de cada personagem, designadamente, dos cuidadores e dos doentes, está fortemente ancorado na capacidade de compreender as diversas facetas da vida".
 
Esta é a segunda vez que Teolinda Gersão, de 76 anos, recebe o Prémio Fernando Namora. A primeira vez foi em 2001, com a obra "Os teclados".
 
Quanto a "Fredo", o júri realçou a natureza intrínseca de um romance "narrado na primeira pessoa, numa linguagem sóbria, assente num registo quase confessional" que "acompanha a descoberta que um jovem [Adolfo Maria] vai fazendo dos silêncios e da solidão que sempre acabou por marcar os horizontes de vida e, sobretudo, as suas mágoas e tristezas".
 
Para os jurados, "Fredo", já publicado pela Gradiva, editora que é parceira da Estoril Sol neste prémio, "é um romance de aprendizagem da experiência da relação com os outros".
 
Ricardo Fonseca Mota, de 29 anos, é um dos fundadores do Grupo de Expressão Dramática InterDito, para o qual escreveu vários textos incluídos nas peças "Sentir tudo de todas as maneiras" e "Self-Service", escreveu também para projetos musicais e participou em diferentes exposições artísticas individuais e coletivas.
 
O Prémio Fernando Namora tem o valor de 15.000 euros e o Agustina Bessa-Luís, 10.000 euros.