Portugal Open: Wawrinka contrariou favoritismo de Ferrer com 'um jogo quase perfeito'

Portugal Open: Wawrinka contrariou favoritismo de Ferrer com 'um jogo quase perfeito'

O tenista suíço Stanislas Wawrinka, que hoje se sagrou campeão do 24.º Portugal Open, ao bater o espanhol David Ferrer, justificou a vitória pelo desempenho que considerou ter ficado perto da perfeição.
"Jogar conta o Ferrer é sempre um grande desafio, porque ele é um ótimo jogador, mas hoje foi muito bom, foi quase o jogo perfeito para mim. Estou muito feliz", afirmou.
No encontro que assinalou o encerramento desta edição do Portugal Open, Wawrinka, número 16 do mundo, contrariou o favoritismo de David Ferrer, primeiro cabeça de série e quarto do "ranking" mundial, e venceu o espanhol por 6-1 e 6-4, em 1:04 horas.
O serviço foi apontado por Wawrinka como a sua grande arma para a superiorização neste encontro, a par da concentração.
"O meu serviço ajudou-me muito, especialmente no segundo ‘set’. Mas senti-me bem quase o tempo todo", sustentou.
À pergunta sobre como conseguiu estar superior em todo o encontro e fazer um jogo quase "mortífero", Warinka respondeu: "Com treino de muitos anos. Tento sempre melhorar algo. O ténis é um desporto duro e hoje estive muito concentrado".
Já com o troféu na mão, ainda no “court”, o suíço prometeu aconselhar Roger Federer, campeão em 2008, a regressar ao Portugal Open.
Na conferência de imprensa, Wawrinka acrescentou ainda que gostava de voltar a jogar com o compatriota, número dois do mundo, nos próximos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.
O suíço atribuiu à vitória de hoje no Portugal Open mais "confiança" para o resto da época.
"Tal como as derrotas ajudam a melhorar alguma coisa, hoje consegui bater um top 4 numa final em terra batida e isso vai influenciar a minha confiança para o resto do ano", sustentou.
Este foi o quarto título do circuito, em 11 finais, conquistado por Wawrinka, que se "desforrou" da derrota deste ano sofrida diante Ferrer no confronto decisivo do torneio de Buenos Aires.
No 11.º frente a frente com o espanhol, Wawrinka somou a quarta vitória, a segunda nos sete embates disputados em torneios de terra batida.
David Ferrer justificou a derrota de hoje com a "falta de garra nos momentos mais importantes".
"Ele hoje foi melhor e fez um grande jogo", disse.
Visivelmente dececionado por ter deixado escapar o título do Portugal Open, o espanhol reconheceu que Wawrinka foi "melhor em tudo".
"Foi mais um jogo na minha carreira, há vezes que corre melhor, outras que corre pior", lamentou.