Portela de Carnaxide: Família Global ajuda mais 43 famílias

Portela de Carnaxide: Família Global ajuda mais  43 famílias

Com uma “pressão diária” de novos pedidos de inscrição nas listas de espera para apoio alimentar, a Projecto Família Global (PFG), com instalações na Portela de Carnaxide, viu-se obrigada a solicitar mais apoios ao Banco Alimentar Contra a Fome. O objectivo é integrar, a partir do corrente mês, mais 43 famílias neste tipo de apoio. “Significa um aumento de 23%”, informa Carlos Ribeiro, presidente da direcção da APG.
Paralelamente, verifica-se uma diminuição na quantidade de bens doados por parte dos sócios da instituição ou de terceiros. “Apesar de sempre ter constituído uma pequena parcela do que é distribuído e consumido vermos estes donativos a reduzirem-se implica mais investimento nas aquisições próprias”, sublinha aquele responsável
Segundo Carlos Ribeiro, apesar dos bens fornecidos pelo Banco Alimentar – maioritariamente, em produtos não perecíveis a curto prazo que vão compor os cabazes alimentares distribuídos regularmente – “o Projecto Família Global sempre tomou a seu cargo a aquisição de produtos de talho e peixaria, bem como ovos e outros produtos frescos, necessários às refeições confeccionadas na cozinha comunitária”, as quais se destinam ao apoio domiciliário e aos almoços e lanches de colaboradores e das crianças acolhidas na creche. Porque, “infelizmente, o precioso apoio do Banco Alimentar nunca foi suficiente para suprir as necessidades”. Só que, entretanto, a despensa, “que nunca conseguimos caracterizar como cheia” revela-se cada vez mais complicada de gerir. “Dificilmente a adjectivávamos, também, de vazia, pois, até a um passado recente, nos foi possível gerir de forma equilibrada as existências e as necessidades, mas essa realidade inverteu-se”.
A solução está tão perto e tão longe ao mesmo tempo: as novas instalações destinadas a acolher e alargar os serviços da instituição estiveram em construção – nas proximidades da sede actual da associação –, mas a falta de financiamento bancário que se verificou no país com a crise em curso levou a que a obra, resultante de uma parceria entre a Câmara Municipal de Oeiras e investidores privados, esteja parada há muito tempo.
“Alimentamos a esperança de que, também em Carnaxide, o cidadão anónimo, isolado ou em grupo, se solidarize com a nossa causa para que possamos continuar a ajudar quem mais necessita”, conclui o presidente da PFG, que escreveu, recentemente, uma carta de pedido de apoio a cerca de 60 empresas livreiras e da área alimentar, precisamente para tentar colmatar falhas na despensa e no fornecimento de material escolar às crianças.