População da Amadora participa no orçamento da câmara

População da Amadora participa no orçamento da câmara

A população da Amadora volta a ser chamada este ano a participar no Orçamento do Município de 2013. Pelo terceiro ano consecutivo, a Câmara Municipal da Amadora (CMA) está a acolher as propostas e ideias dos munícipes. Nesta edição, os projectos mais votados serão incluídos no plano de actividades para o próximo ano.

Nesta edição do Orçamento Participativo, a CMA vai disponibilizar um milhão de euros distribuídos por dois anos, promovendo “uma maior aproximação dos cidadãos à política”. “Como temos dois anos de experiência, o Orçamento Participativo já ganhou maturidade, entendemos, por isso, disponibilizar uma verba maior para ser aplicada ao longo de dois anos e permitir também que seja a população a escolher o ou os projectos a serem colocados em prática”, explica Carla Tavares, vice-presidente da CMA.

Neste momento, os munícipes da Amadora já podem contribuir com propostas de projectos para incluir no próximo orçamento camarário através da página da internet da autarquia. As propostas serão aceites até 31 de Agosto, ou podem ser apresentadas nas duas reuniões públicas a realizar, estando a primeira marcada para o dia 20 de Junho, às 18h30, no auditório do edifício dos Paços do Concelho.

A execução das obras das anteriores edições têm transitado para o ano seguinte, assim como as verbas afectas, motivo pelo qual a autarquia decidiu que o OP 2013 seria dotado de um orçamento de um milhão de euros, para um período de dois anos.

Carla Tavares justifica a “importância deste projecto”, porque “a cidade se possa pronunciar sobre os projectos, envolvendo-se no processo”.

Este ano o modelo adoptado pressupõe a eleição das propostas mais votadas pela população. “Os actores locais podem votar e desta forma escolher os projectos a incluir nas Grandes Opções do Plano e Orçamento 2013. As propostas serão colocadas à votação, entre 1 e 22 de Outubro, após uma avaliação prévia quanto à sua exequibilidade técnica e ajustamento à dimensão financeira”, acrescenta.