Polícia Judiciária deteve suspeita de homicídio e incêndio na Amadora

Polícia Judiciária deteve suspeita de homicídio e incêndio na Amadora
Uma mulher de 39 anos foi detida por suspeita de ter ateado um incêndio numa habitação na Damaia, concelho da Amadora, que provocou a morte de uma idosa, sua familiar, informou hoje a Polícia Judiciária.
 
A Polícia Judiciária (PJ), em comunicado, revelou que elementos da diretoria de Lisboa e Vale do Tejo identificaram e detiveram uma mulher "indiciada pela prática de um crime de homicídio e de um crime de incêndio".
 
A investigação apurou que, na tarde de 30 de janeiro, "a presumível autora terá ateado fogo ao interior da residência onde se encontrava a vítima, uma mulher com 71 anos", com "fraca mobilidade, vindo a provocar-lhe a morte", esclareceu a PJ.
 
"Os atos terão sido motivados por uma relação particularmente inamistosa que a presumível autora, nora da vítima, mantinha com esta", acrescentou a nota policial.
 
O fogo, explicou à agência Lusa o comandante dos Bombeiros Voluntários da Amadora, Mário Conde, deu-se num rés-do-chão de um prédio na Rua Basílio Teles, na Damaia, e as chamas ficaram confinadas "só ao sofá" onde se encontrava a idosa.
 
A septuagenária residia com o marido e o filho, mas que na altura do sinistro não se encontravam em casa, adiantou o comandante dos bombeiros, que mobilizou para a zona três viaturas e nove voluntários, apoiados pela Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) e pela Proteção Civil municipal.
 
A PSP e a PJ também estiveram no local e, na sequência das investigações, foi detida a nora da vítima, que ficou sujeita à medida de coação de prisão preventiva, após ser presente a primeiro interrogatório judicial.