Poiares Maduro apresenta programa de fundos comunitários em São João das Lampas

Poiares Maduro apresenta programa de fundos comunitários em São João das Lampas
O ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, esteve na passada sexta-feira em São João das Lampas, concelho de Sintra, para participar numa sessão de esclarecimento relacionada com o programa de fundos comunitários Europa 2020.
 
A iniciativa, promovida pelo PSD de Sintra, reuniu cerca de 200 pessoas, na sua maioria pequenos empresários das freguesias de Terrugem e São João das Lampas, região abrangida pelo programa comunitário centrado na promoção das indústrias com capacidade exportadora, bem como no apoio à investigação, educação e formação. Para além disso, anunciou o ministro, o empreendedorismo social e os projectos de inclusão social e de combate ao desemprego também serão sujeitos a apoios comunitários, alguns dos quais a fundo perdido.
“A região de Lisboa vai receber verbas na ordem dos 833 milhões de euros, o que significa o dobro das verbas previstas no anterior quadro comunitário de apoio”, destacou Poiares Maduro, anunciando ainda a "injecção de mais de 4 mil milhões de euros na economia nacional” durante este ano de 2015. “Cerca de 40 por cento destas verbas são para as pequenas e médias empresas. Para fomentar o crescimento da economia e a capacidade exportadora de um país que, a este nível, teve o seu melhor ano de sempre em 2014”.
 
Sentado ao lado dos vereadores do PSD na Câmara de Sintra, Luís Patrício e Paula Neves, o responsável pela pasta do Desenvolvimento Regional deixou uma garantia: “Esta é uma oportunidade soberana para Portugal. Não poderá ser desperdiçada, como aconteceu no passado. Por isso, vamos ser muito rigorosos nas regras de atribuição e no processo de gestão destes fundos. Pois, por muito correctos que sejam os objectivos traçados, se as práticas não mudarem, dificilmente vamos ter resultados”, alertou.
 
Após a sua intervenção inicial o ministro foi confrontado pela plateia com um conjunto de questões, a maioria das quais relacionada com política nacional, às quais Poiares Maduro procurou responder com diplomacia: “Vim aqui para falar de fundos comunitários. As questões políticas ficarão para outra oportunidade”, retorquiu.