Petição contra estacionamento pago em Cascais soma mais de 1.400 assinaturas

Petição contra estacionamento pago em Cascais soma mais de 1.400 assinaturas
Mais de 1.400 pessoas já assinaram uma petição ‘online' contra o alargamento do estacionamento pago em Cascais e que acusa a Câmara Municipal de não proporcionar alternativas gratuitas aos munícipes e de agravar dificuldades de mobilidade.
 
"Os munícipes de Cascais estão alarmados com a entrada em vigor do Regulamento de Estacionamento Controlado do Concelho de Cascais, que alargou o número de lugares de estacionamento pago, através da quase eliminação dos lugares que eram do domínio livre e gratuitos", lê-se na introdução da petição.
 
Com 1.436 subscritores, o documento, que não está assinado, indica que, "com a expropriação de espaços de estacionamento livre, a Câmara não cuidou de proporcionar alternativas aos munícipes para estacionarem as suas viaturas sem terem que suportar pesadas taxas".
 
A petição tem a finalidade de ver revogada a decisão da Câmara de Cascais e pretende que o executivo pressione o Estado para melhorar os transportes coletivos rodoviário e ferroviário, promovendo também a construção de silos de parqueamento automóvel.
 
O mesmo documento acusa a autarquia liderada por Carlos Carreiras de estar a contribuir para o "agravamento das dificuldades de mobilidade, forçando a deslocação dos automóveis para áreas e locais distantes e a parquear em zonas impróprias como nos passeios e nas bermas, sujeitando os munícipes a multas e a reboques de custos incomportáveis".
 
Os assinantes consideram que "o estacionamento pago é por demais injusto, penaliza e agrava a já difícil condição económica da maioria da população do concelho, mal servida com meios de transporte coletivo".
 
A petição considera os comerciantes "vítimas desta decisão camarária", uma vez que "os seus clientes são forçados a desviar-se para as grandes superfícies comerciais, onde o estacionamento é mais fácil e gratuito".
 
"Já ao longo de muitos anos que a câmara vem cobrando o estacionamento em 1.657 lugares distribuídos por várias localidades. No entanto, não sabem os munícipes que destino foi até agora dado às receitas assim arrecadadas", lê-se.
 
As medidas agora contestadas já foram aprovadas em fevereiro de 2014.
 
Na ocasião, os partidos da oposição contestaram o novo regulamento, tendo também promovido um abaixo-assinado.
 
Na ocasião, o vereador que tutela a empresa Cascais Próxima, Nuno Piteira Lopes, explicou que o alargamento do estacionamento pago visa "promover a baixa generalizada do preço do estacionamento para todos os munícipes".
 
"Dirão que essa baixa de preços é motivada pelo alargamento do estacionamento pago? Verdade. Mas para que todos paguem menos, alguns têm que pagar alguma coisa", justificou o vereador na altura.
 
Contactada pela Lusa, a autarquia escusou-se a comentar a petição em causa, adiantando apenas que será "em breve" apresentado um plano geral de mobilidade "inovador".
 
O município não especificou que alterações estão previstas quanto ao número de lugares.