Petição contesta falta de recursos humanos na oncologia do Hospital do Barreiro

Petição contesta falta de recursos humanos na oncologia do Hospital do Barreiro

Uma petição contra a falta de recursos humanos no serviço de oncologia do Hospital do Barreiro já reúne mais de cinco mil assinaturas, com Cristina Santos, uma das promotoras da iniciativa, a considerar que a situação actual é "inadmissível".

"Temos poucos oncologistas seniores no hospital do Barreiro, mas também só temos uma patologista, o que é inacreditável e infelizmente somos imensos doentes. Estamos a ser prejudicados, pois é inadmissível que um hospital que é único e de referência neste serviço na Península de Setúbal esteja com falta de recursos humanos", disse, durante o período aberto ao público da Assembleia Municipal do Barreiro.

Cristina Santos afirmou que a petição, que está a decorrer desde Julho, já recolheu mais de cinco mil assinaturas.

"Tem já 5538 assinaturas e não está concluída, numa petição que não tem nada de partidário ou sindical, e penso que chegaremos às seis mil assinaturas. O serviço foi criado para ser uma unidade de referência na Península de Setúbal, com investimentos elevados. Sou doente oncológica, sou tratada no hospital e estamos numa situação grave", salientou.

Cristina Santos defendeu que a petição vai ser enviada para a Ordem dos Médicos, parlamento, Presidente República, primeiro-ministro e Tribunal Internacional de Haia.

Depois da saída de um médico para Loures e do caso de outro médico com 20 horas semanais, depois de um acordo com o Hospital Garcia de Orta, a Unidade de Oncologia conta agora com quatro especialistas (três oncologistas e um hemato-oncologista) e sete internos da especialidade de Oncologia.

Face a estas saídas, o Centro Hospitalar Barreiro/Montijo considera urgente a necessidade de recrutamento de especialista, com vista à contratação, tendo já dado passos nesse sentido.

O centro hospitalar já confirmou à Lusa que a escassez de recursos médicos não envolve apenas a especialidade de oncologia, mas também a anatomia patológica e radioterapia.