Pedro Pinto estreia-se em visita a instituições de deficientes em Sintra

Pedro Pinto estreia-se em visita a instituições de deficientes em Sintra
O candidato da coligação “Mais Sintra” iniciou hoje contactos em instituições que lidam com a deficiência por considerar a integração social uma das linhas de força da campanha à Câmara Municipal de Sintra
“Há uma só Sintra e não várias. Uma Sintra capaz de integrar e de se entender entre si. Tem uma expressão rural e urbana, patrimonial e industrial, de origem secular e nas comunidades imigrantes. Mas Sintra é una e representa a segunda maior Pólis de Portugal”, disse Pedro Pinto no arranque dos contactos com os sintrenses. 
Para o candidato, as instituições que se dedicam a dar respostas de qualidade a pessoas com dependência ou incapacidade simbolizam, de forma especial, a Sintra integradora. Nesse sentido, a primeira visita do candidato da coligação “Mais Sintra” foi aos núcleos da CERCITOP - Centro de Educação e Reabilitação de Deficientes de todo o País - e ao CECD Mira Sintra- Centro de Educação para o Cidadão Deficiente.  
Os contactos na CERCITOP multiplicaram-se por oito centros que servem mais de 1100 utentes e contam com o apoio de 190 funcionários nas áreas de Apoio a Crianças com Necessidades Educativas Especiais, em Sintra, no Centro de Actividades Ocupacionais, no Lourel, e na Unidade de Cuidados Continuados Integrados de Algueirão. Pedro Pinto passou, ainda, pelas obras de um novo centro no Recoveiro que vai acolher mais 24 utentes e fez uma visita completa ao Centro do Telhal onde funcionam, de forma exemplar, Actividades Ocupacionais, uma Unidade de Cuidados Continuados Integrados, uma Unidade de Longa Duração e Manutenção e um lar para pessoas com deficiência. Finalmente foi também aos Centros da CERCITOP em Massamá e em Ouressa. 
O candidato visitou, ainda, em Mira Sintra o CECD. A cooperativa fundada por pais e técnicos, há 37 anos, dá um apoio de excelência a pessoas com deficiência intelectual e multideficiência. Abrangendo mais de dois mil “clientes” com o apoio de 200 trabalhadores dedicam-se à Educação Especial, Formação Profissional, Emprego Protegido, Apoio à Família, Serviço Domiciliário e Reabilitação, contribuindo para a qualidade de vida das pessoas portadoras de deficiência. A CECD associa a defesa dos direitos dos Deficientes à contribuição activa para a sociedade produzindo serviços e bens e promovendo o emprego destas pessoas. 
Durante os contactos, Pedro Pinto sentiu o apreço de quem beneficia destas instituições e ouviu as preocupações de quem nelas trabalha. Entre os problemas apontados estão os atrasos de pagamentos ou a demora nos licenciamentos por parte do Estado. Curiosamente ambas as instituições têm escritas nas paredes de entrada frases de Saint-Exupéry. Em Mira Sintra pode ler-se que “O essencial é invisível para os olhos, só se vê bem com o coração”. E no Telhal: “Aqueles que passam por nós, não vão sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós”. Frases que resumem bem o espírito destas visitas.