PCTP/MRPP candidata António Laires à Câmara de Sintra

PCTP/MRPP candidata António Laires à Câmara de Sintra

O PCTP/MRPP candidata o técnico de eletrónica António Laires à Câmara de Sintra com o objetivo de "dar voz" a uma população que precisa de espaços verdes e de um hospital público, disse à agência Lusa o candidato.
"Aceitei este desafio por achar que basta destas políticas ruinosas para o concelho de Sintra. Estamos de mãos limpas e queremos dar voz a quem não a tem", disse António Laires à agência Lusa.
O candidato às autárquicas de 29 de setembro adiantou que as principais apostas da sua candidatura incidem em melhorar os sistemas de transportes públicos que servem o concelho de Sintra, em criar mais espaços verdes nas zonas urbanas e em criar condições para que seja construído um hospital público no município.
"Zonas como Mem Martins ou Rio de Mouro não têm espaços verdes. Queremos também criar um complexo desportivo que sirva todos os sintrenses e forçar o poder central a construir um hospital, porque o Fernando da Fonseca já é pequeno para a população da Amadora, quanto mais para Sintra", afirmou.
O funcionário do metropolitano de Lisboa adiantou que a sua candidatura assegurará melhores serviços de água, saneamento e de recolha de lixo, bem como será "um travão à especulação imobiliária que sempre se viveu em Sintra".
"Lutaremos para inverter esta política de abandono e de degradação a que o concelho tem sido votado. Há muita coisa por fazer. Este é um desafio grande, porque muitas promessas têm sido feitas, mas nada foi feito em Sintra", adiantou.
Na corrida à Câmara de Sintra, além de António Laires, estão Basílio Horta (PS), Pedro Ventura (CDU), Nuno da Câmara Pereira (PND), Luís Fazenda (BE), Barbosa de Oliveira (independente), Pedro Pinto (PSD/CDS-PP/MPT), Marco Almeida (independente), José Lucena Pinto (PNR) e Nuno Azevedo (PAN).
A Câmara de Sintra é presidida por Fernando Seara, eleito pela coligação Mais Sintra (PSD/CDS-PP) nas eleições de 2009. O atual executivo municipal é composto por seis elementos da coligação PSD/CDS-PP, quatro do PS e um da CDU.