Patrícia Mamona e João Pereira reconhecem qualidade nos concorrentes a atleta do ano

Patrícia Mamona e João Pereira reconhecem qualidade nos concorrentes a atleta do ano
A atleta Patrícia Mamona e o triatleta João Pereira assumiram hoje que têm rivais de peso na corrida ao título de atleta do ano da Confederação do Desporto de Portugal, mas salientaram a importância de estar entre os nomeados.
 
"É superpositivo saber que o desporto está a privilegiar os desportistas que representam o país. Quero que votem em mim", apelou Patrícia Mamona.
 
A campeã da Europa do triplo salto reconheceu que a votação para atleta feminina do ano vai ser muito renhida, uma vez que a judoca Telma Monteira, outra das cinco nomeadas, alcançou "um feito inédito", ao conquistar a única medalha portuguesa nos Jogos Olímpicos do Rio2016, com o bronze na categoria -57 kg.
 
"Mas eu fui campeã da Europa. Espero que, se não for desta vez, seja da próxima, já que no próximo ano tenho um Campeonato da Europa de pista coberta, um Campeonato do Mundo", salientou, indicando que este tipo de reconhecimento é importante e dá motivação aos atletas para continuarem a trabalhar para representar Portugal "da melhor maneira".
 
Além de Telma Monteiro, Patrícia Mamoma vai disputar o prémio da atleta do ano da Confederação do Desporto de Portugal (CDP) com a navegadora Inês Ponte, primeira mulher a conquistar o campeonato nacional de ralis, a cavaleira Luciana Diniz, nona na competição de saltos de obstáculos no Rio2016, e a canoísta Teresa Portela, 11.ª no K1 500 metros olímpico.
 
João Pereira sublinhou a honra que sente por integrar o quinteto de candidatos a atleta masculino do ano, um prémio que será atribuído na Gala do Desporto, cuja 21.ª edição decorre no Casino Estoril, a 16 de novembro.
 
"Conseguir chegar à final da nomeação é um marco importante na carreira de um atleta. Depois, sim, o processo para se conseguir vencer é um pouco conseguir ter muitos fãs e apoio do público. Mas conseguir chegar a esta votação final deixa-me bastante contente e orgulhoso. É um pouco ver o meu trabalho recompensado", admitiu, depois de ver o seu nome aparecer entre os nomeados, na apresentação que decorreu num espaço comercial de Lisboa.
 
O triatleta, quinto classificado no Rio2016, concorre com Fernando Pimenta, campeão europeu de K1 1.000 metros e K1 5.000 metros e quinto classificado em K1 1.000 metros nos Jogos Olímpicos, o futebolista Pepe, campeão da Europa com a seleção portuguesa de futebol e vencedor da Liga dos Campeões com o Real Madrid, Rui Bragança, bicampeão europeu de taekwondo na categoria -58 kg e nono no Rio2016, e Marcos Freitas, quinto em singulares masculinos no ténis de mesa do Rio2016.
 
"Penso que são todos atletas bastante conhecidos, com nome. Não consigo nomear apenas um adversário. Acho que vai ser muito complicado, mas vou acreditar que tenho um grande grupo de fãs e muitos amigos que votem em mim", brincou.
 
Também o presidente do CDP considerou que é muito difícil apontar um favorito nas cinco categorias: atleta masculino, atleta feminino, equipa, treinador e jovem promessa.
 
"Olhando para os nomeados das cinco categorias, é extremamente complicada a escolha. Pode haver um ou outro mais favorito, mas penso que são muito iguais. Todos eles têm um valor enorme, o que revela bem o peso que, hoje em dia, tem o desporto nacional", indicou.
 
Carlos Paula Cardoso frisou que os vencedores, "na generalidade", têm sido justos.
 
Os cinco finalistas de cada categoria vão estar submetidos à votação online do público (com um peso de 60 por cento) e à votação dos presentes na Gala do Desporto.
 
Na Gala do Desporto é igualmente entregue o Prémio Personalidade do Ano - Mérito Desportivo a desportistas e entidades indicados pelas filiadas da CDP (uma indicação por cada federação) e o Prémio Alto Prestígio, a mais alta distinção da entidade.