Passos Coelho na Amadora para apoiar Carlos Silva

Passos Coelho na Amadora para apoiar Carlos Silva

O presidente do PSD e primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou ontem na Amadora não ter medo do resultado das eleições autárquicas, nem das europeias, dos portugueses, nem do seu julgamento.
Numa intervenção na sessão de apresentação do candidato apoiado pelo PSD e pelo CDS-PP à Câmara Municipal da Amadora, Carlos Silva, no dia em que passam dois anos desde as últimas eleições legislativas, o primeiro-ministro declarou-se orgulhoso do trabalho feito pelo Governo.
À entrada e à saída do auditório dos Recreios da Amadora, onde se realizou esta iniciativa, Passos Coelho foi apupado por cerca de uma dúzia de pessoas que estavam no passeio em frente ao edifício, ao mesmo tempo que outros o aplaudiram.
Junto ao local encontravam-se perto de duas dezenas de polícias, alguns dos quais cercaram as pessoas que gritaram palavras de protesto dirigidas ao primeiro-ministro, quando a sessão terminou.
No final do seu discurso, na qualidade de presidente do PSD, Passos Coelho considerou que os eleitores vão votar nas autárquicas tendo em conta "a transformação nacional que está a ocorrer e a transformação local que a deve acompanhar", porque "as eleições são distintas, mas todas as coisas estão interligadas"
"Nós não criamos compartimentos estanques na política. Eu não tenho medo dessas coisas. Eu não tenho medo do resultado das autárquicas, eu não tenho medo do resultado das europeias, eu não tenho medo dos portugueses, nem do seu julgamento", afirmou, em seguida.
"Nós temos de ser gente que diz o que quer e o que faz. Eu tenho muito orgulho do trabalho que estou a fazer, com uma equipa de gente que pôs os interesses do país à frente dos seus próprios. Não faremos tudo bem, mas fazemos tudo o que podemos pelo nosso país", acrescentou.