Páscoa: Hoteleiros da região estão otimistas com perspetivas

Páscoa: Hoteleiros da região estão otimistas com perspetivas
Os hoteleiros da Costa do Estoril, no qual se incluem operadores de Cascais, Oeiras, Sintra e Mafra, e os da região de Lisboa mostram-se otimistas em relação à procura turística na Páscoa deste ano.
 
De acordo com números disponibilizados pela associação de Hoteleiros do Estoril, os operadores deverão registar um aumento médio da taxa de ocupação de hotéis de quatro e cinco estrelas na ordem do 10%.
 
A estimativa refere-se ao período de 30 de março a 5 de abril, que é dia de Pascoa.
 
Estes valores correspondem a um aumento da procura face ao que registou no ano passado, refere a associação.
 
Quanto às receitas totais, a perspetiva é que os hotéis da zona obtenham um aumento que pode ir até aos 11%, principalmente nos alojamentos mais caros.
 
Este crescimento das receitas deve-se não só a uma maior procura, mas também a uma subida do preço médio das estadia neste período festivo, que se espera chegue aos 9% em hotéis de três estrelas e aos 5% em hotéis de cinco estrelas.
Nas estimativas, os hoteleiros esperam ainda um crescimento médio de 5,5% das receitas em alojamento e um aumento até 9% das receitas de restaurante.
 
"Para os hoteleiros, a Páscoa de 2015 será melhor do que a Páscoa de 2014. Todos os operadores, de todos os segmentos, reviram em alta as suas perspetivas para a Páscoa 2015”, assegurou fonte da associação.
 
A maior parte dos turistas que procuram ficar nesta zona do país provêm de Espanha, França e Alemanha, mas também se regista um número significativo de turistas dos Estados Unidos, Bélgica, Finlândia e Holanda.
 
O otimismo é também a palavra que define os operadores de turismo da capital, segundo avançou a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) com base nas reservas sinalizadas para o período de 21 de março a 05 de abril.
 
De acordo com o habitual inquérito realizado pela AHP aos seus associados, Lisboa é a região que antecipa melhores resultados nas receitas, com subidas de 62%, sendo que o principal mercado emissor de hóspedes é a Espanha.