Parques de Sintra junta-se aos municípios de Sintra, Amadora e Oeiras na criação de um 'eixo verde e azul'

Parques de Sintra junta-se aos municípios de Sintra, Amadora e Oeiras na criação de um 'eixo verde e azul'
A Parques de Sintra e os municípios de Sintra, da Amadora e de Oeiras assinaram, no passado dia 14 de julho, um protocolo para a criação do “Eixo Verde e Azul”, que visa requalificar a bacia hidrográfica do Jamor e a área circundante do Palácio Nacional de Queluz, de forma a valorizar toda a região. Numa primeira fase, o investimento estimado é de cerca de 11 milhões de euros.
 
O projeto envolve um programa conjunto de ações de cariz intermunicipal, que atende às necessidades de cada território, e define como objetivo comum a melhoria da qualidade de vida das populações e a dinamização da economia local.
 
“Esta oportunidade de repensar o espaço envolvente ao Palácio de Queluz, com vista a garantir a adequada valorização deste importante elemento de património, e, simultaneamente promover a melhoria da qualidade de vida das populações foi, então, apresentada aos municípios de Sintra, Amadora e Oeiras, que aceitaram o desafio proposto pela Parques de Sintra”, salientou na ocasião o presidente do Conselho de Administração da Parques de Sintra, Manuel Baptista.
 
O “Eixo Verde e Azul” estabelece uma estratégia integrada de intervenção destinada a criar e consolidar um eixo ecológico, que atravessa os concelhos da Amadora, de Oeiras e Sintra.
 
A requalificação da bacia hidrográfica do Jamor, e a consequente prevenção do risco de cheias, assume-se como um objetivo prioritário. O projeto integra, assim, um conjunto de ações que irá promover a melhoria da qualidade das massas de água do Jamor e seus afluentes e assegurar o controlo dos caudais, tendo em vista a segurança de pessoas e bens nas áreas atualmente sujeitas a risco de inundação.
 
Resolver o problema da descaracterização e fragmentação do território, provocado pelos grandes eixos rodoviários, em particular o IC 19, é outra das prioridades. “Cedo compreendemos que, dada a localização deste jardim, imediatamente junto ao muro justaposto ao IC19 e próximo do leito do Jamor, precisamente na zona mais sujeita a inundação, este importante valor paisagístico e patrimonial estaria sempre comprometido se não houvesse uma intervenção mais abrangente, extramuros, para resolver questões estruturais e de ordenamento”, sublinhou Manuel Baptista.
 
Pretende-se ainda proceder à requalificação do espaço público em redor do Rio Jamor e da ribeira de Carenque, bem como à valorização ecológica, paisagística e funcional da área envolvente do Palácio Nacional de Queluz.
 
O “Eixo Verde e Azul” visa também melhorar o acesso das populações à fruição da natureza e do património, através da criação de espaços verdes e da implementação de um circuito de mobilidade suave ao longo dos concelhos de Sintra, Amadora e Oeiras.
 
“A assinatura deste protocolo formaliza, não só a concomitância de vontades, mas também o compromisso intermunicipal de materialização deste novo Parque Urbano, de escala equiparável à do Parque de Monsanto”, concluiu Manuel Baptista.
 
A cerimónia decorreu no auditório do Palácio Nacional de Queluz e contou com a presença dos presidentes das câmaras municipais de Sintra, Basílio Horta, da Amadora, Carla Tavares, e de Oeiras, Paulo Vistas.