Dacia Lodgy: Para famílias ‘entroikadas’

Dacia Lodgy: Para famílias ‘entroikadas’

Dacia Lodgy: sete verdadeiros lugares a preço de arromba


Com os tempos difíceis que se vivem, o conceito ‘low cost’ não pára de ganhar adeptos e as marcas automóveis lançam cada vez mais produtos destinados a quem tem orçamentos limitados. A Dacia, subsidiária do grupo Renault vocacionada, precisamente, para o lançamento de modelos de baixo custo, lançou mais uma proposta no mercado, desta vez dirigida a famílias numerosas. Trata-se de um monovolume médio, de sete lugares, que, despejado de luxos e itens muitas vezes inúteis, é comercializado com preço verdadeiramente de arromba: a partir de 15 mil euros.
A habitabilidade, incluindo-se neste campo algum conforto, é o principal atributo deste modelo que aproveita a velha plataforma do Renault Clio II para, numa carroçaria com 4,50 metros de comprimento e 1,75 m de largura, de desenho simples, se transformar no monovolume mais barato e talvez o mais espaçoso do mercado, inclusive, na terceira fila de bancos.
O segredo para o baixo preço de comercialização reside no aproveitamento de componentes de outros modelos, bem como numa redução dos níveis de qualidade de alguns materiais. Mas, mesmo assim, o Dacia Lodgy chega a surpreender pela positiva, nomeadamente ao nível e alguns acabamentos e na introdução de luxos até aqui inexistentes na marca, como sejam os sensores de estacionamento traseiro, o limitador de velocidade ou o novíssimo sistema multimédia (430 ¤) com ecrã táctil de 7 polegadas, com GPS, Bluetooth e comandos no volante. Também não faltam vidros e espelhos eléctricos, ar condicionado, faróis de nevoeiro ou jantes de liga leve.
Quanto a motores, o Lodgy recorre ao comprovadíssimo 1.5 dCi da Renault, nas variantes de 90 e 110 cv, e vai dispor em breve do novo 1.2 TCe a gasolina que equipa o Mégane.
A versão testada pelo JR estava equipada com o 1.5 dCi de 110 cv, garante de fiabilidade, de excelentes prestações, baixos consumos e até algum prazer de condução. Para além disso, a insonorização e o conforto a bordo proporcionado por suspensões eficazes fazem esquecer o conceito ‘low cost’ do Lodgy. É caso para dizer: "Gastar mais para quê?"
Paulo Parracho

 

Informação prestada pela marca:

Se o Duster é uma das maiores surpresas no segmento dos SUV, o Dacia Lodgy promete seguir-lhe as pisadas entre os monovolumes. Para além de oferecer uma relação qualidade/preço imbatível e da já conhecida robustez da marca, o Dacia Lodgy alia outros predicados tão do agrado das famílias, até mesmo as mais numerosas: uma excepcional habitabilidade conferida pelos 7 lugares individuais, um habitáculo em que é facilmente percepcionada a evolução da marca em matéria de acabamentos e um nível de equipamento inédito na Dacia, com destaque para o sistema Media Nav integrado na consola. Um sistema multimédia dotado de um ecrã táctil de 7 polegadas, incluindo navegação, rádio, conectividade e telefone sem fios Bluetooth®. Isto para além do limitador de velocidade e o auxílio ao estacionamento traseiro.

 

Quanto a motores o Dacia Lodgy vai estar disponível com o conhecido e reputado bloco diesel 1.5 dCi com dois níveis de potência: 90 e 110 cavalos. No início de 2013 será comercializado também o novo motor a gasolina 1.2 TCe de 115 cavalos. 

A versão de entrada em gama equipada com o motor a gasolina vai ser comercializada pelo preço de 14.590€(*). O Dacia Lodgy 1.5 dCi estará disponível a partir dos 17.500€.

 

UM DESIGN ROBUSTO QUE PREFIGURA UMA EXCELENTE HABITABILIDADE…

 

Se a dianteira traduz a nova identidade visual da Dacia, é na imagem de robustez, na amplitude das superfícies vidradas e nas dimensões que o Dacia Lodgy mais sobressai. O comprimento de 4,5 metros posiciona-o no segmento dos monovolumes do segmento C, mas é em relação ao interior que muito há para dizer…

 

Uma vez no habitáculo do Dacia Lodgy, impressiona a sensação de espaço e a qualidade dos acabamentos. Sim, o modelo traduz a evolução registada pela marca neste domínio e isso é visível em diversos aspectos: na qualidade dos materiais, na ergonomia (por exemplo, os comandos dos vidros eléctricos dianteiros e traseiros estão agora colocados nas portas), no design moderno e funcional do painel de instrumentos, mas também na lista de equipamentos.

 

O Dacia Lodgy inaugura um novo ciclo, ao disponibilizar uma gama de equipamentos até hoje inéditos na marca. O Media Nav é exemplo disso mesmo. Um sistema multimédia integrado na consola central, que é composto por um ecrã táctil e que é comercializado por um preço inédito: apenas 300€ (de série na versão Prestige). Com uma utilização fácil e intuitiva, integra o rádio, o kit mãos-livres Bluetooth®, audio streaming, entradas USB e jack. Com um ecrã táctil de 7 polegadas (18cm), a página "Menu" permite navegar facilmente por entre as diferentes funções do Media Nav. Os aparelhos portáteis conectados através das entradas USB e jack podem também ser operados através dos comandos tácteis do ecrã ou com o comando sob o volante com a indicação de informações no ecrã do Media Nav. A navegação táctil e intuitiva beneficia de um grafismo 2D e Birdview (3D). Através da entrada USB e da interface web específico, os clientes podem actualizar os conteúdos da cartografia.

 

Mas para os clientes que não pretendem um sistema de navegação, o Dacia Lodgy oferece uma segunda solução multimédia: o Dacia-Plug&Radio, composto por um novo rádio com leitor de CD compatível MP3. A tecnologia Bluetooth®, as entradas USB e jack na consola central e os comandos no volante completam este equipamento.

 

Ainda em relação ao equipamento, destaque para mais duas novidades na Dacia: o limitador de velocidade (de série em todas as versões) accionado através de um comando colocado na consola central e com comando no volante; e o sistema de auxílio ao estacionamento traseiro (de série no nível Prestige) activado sempre que é engrenada a marcha-atrás.

 

Mas o Dacia Lodgy é, também, sinónimo de habitabilidade. Disponível em versão de 5 ou 7 lugares, oferece uma modularidade excepcional nesta gama de preços e se a opção for pelos 7 lugares, fica a certeza da terceira fila de bancos (com dois lugares) ser amovível. Neste particular, é “só” o melhor da categoria em matéria de habitabilidade, nomeadamente na distância para os joelhos (144mm) e cabeça (866mm).

 

A bagageira apresenta um volume de 207 dm3. Com a última fila rebatida, o volume passa para 634 dm3. Para ganhar ainda mais espaço na bagageira, a última fila pode mesmo ser retirada. Os bancos dobram-se contra as costas da segunda fila e fixam-se nos apoios de cabeça dianteiros. Nesta configuração, a bagageira beneficia então de um volume total de 1861 dm3.

 

Uma referência, ainda, para a existência de inúmeros arrumos (até 12 locais), com um volume total que varia entre 20,5 litros e 30 litros, consoante o nível de equipamento. 

 

MOTORES REFERÊNCIA NO SEGMENTO 

 

O Lodgy dispõe de uma oferta de motorizações a gasolina e diesel que corresponde às expectativas dos diferentes clientes. No lançamento, a oferta será composta pelo motor diesel 1.5 dCi, disponível nas versões de 90 e 110 cavalos. 

 

A nova motorização TCe 115, com performances e consumos excepcionais, tendo em conta a cilindrada, estará disponível a partir do início de 2013.

 

TCe 115

 

Estreado no Renault Mégane e no Renault Scénic, este novo bloco gasolina 1.2 de 85 kW (115 cv) dispõe de injecção directa sobrealimentada. O novo TCe 115 alia o prazer de condução à economia e a reduzidas emissões de CO2, oferecendo performances comparáveis às de um motor 1.6. O binário de 190 Nm, disponível a partir das 2000 rpm, assegura excelentes recuperações. Equipado com uma caixa de velocidades manual de cinco relações, apresenta um consumo de apenas 6,2l/100 km (ciclo misto), e emissões de CO2 de 140g/km na versão de 7 lugares. 

 

1.5 dCi 90 e 110

 

Amplamente reconhecido pela sua fiabilidade, as suas performances e o seu respeito pelo ambiente, o 1.5 dCi está também disponível nas versões de 66 kW (90 cv) e 79 kW (110 cv). Com 200 Nm na versão de 90 cv e 240 Nm na versão de 110 cv, o motor 1.5 dCi apresenta dos melhores níveis de consumo do seu segmento: respectivamente 4,2l/100km (109g/km de CO2) e 4,4l/100km (116g/km de CO2) em ciclo misto. A primeira versão dispõe de uma caixa de velocidades manual de cinco relações, enquanto a segunda versão é proposta com uma caixa de velocidades manual de seis relações. 

Ambos os motores beneficiam da assinatura "Dacia eco²".

 

Económico na compra, económico na utilização

 

Tal como todos os produtos da família Dacia, o Lodgy garante custos de manutenção e de utilização particularmente competitivos, graças ao prolongamento dos intervalos de mudança de óleo, da mudança das pastilhas de travão e dos pneus. A substituição do filtro de ar efectua-se aos 80.000 km (ou de 4/4 anos) e a do filtro de gasóleo aos 60.000 km.

 

Em matéria de segurança activa, destaque para o sistema ABS Continental (Mark100), com um repartidor electrónico de travagem (EBV) e assistência à travagem de emergência (EBA); os travões de disco ventilados à frente de 280mm; o sistema de controlo de trajectória (ESC) está disponível de série em todas as versões e motorizações (excepto versão de entrada em gama). No domínio da segurança passiva, o Lodgy está equipado, nos lugares dianteiros, com dois airbags condutor/passageiro, dois airbags laterais cabeça/tórax e cintos de segurança com limitadores de esforço e pré-tensores pirotécnicos no banco do condutor. O Lodgy está também equipado com três pontos de fixação Isofix nos três lugares da segunda fila, que permite colocar, de forma fácil e em segurança, cadeiras de bébé.

 

O Lodgy beneficia de uma garantia de 3 anos ou 100.000 km.

 

(*) Preço da versão base equipada com o novo motor 1.2 TCe a gasolina, com comercialização prevista para o início de 2013.

 

Dacia Lodgy