Orquestra Barroca do Amazonas no Palácio de Queluz

Orquestra Barroca do Amazonas no Palácio de Queluz

A Orquestra Barroca do Amazonas, especializada no repertório lírico luso-brasileiro do período colonial, atua no domingo, às 19:30, no Palácio Nacional de Queluz, com os solistas Mirian Abad (soprano) e Armando Possante (barítono).

No dia 15, a Orquestra atua às 20:30 Conservatório Nacional, em Lisboa, e, no dia 19, à mesma hora, na Igreja do Menino Deus, também em Lisboa.

Na Igreja do Menino Deus, junto ao Castelo de S. Jorge, a orquestra apresenta o concerto intitulado “Creator Alme Siderum”, com peças de música sacra brasileira e música instrumental portuguesa do século XVIII.

A Orquestra Barroca do Amazonas foi constituída em 2009 por professores e alunos de graduação e pós-graduação em Música da Universidade do Estado do Amazonas, no Brasil, para divulgar o património brasileiro do período colonial, especialmente dos séculos XVIII e começo do XIX.

Segundo comunicado da orquestra, esta “usa cópias fiéis de instrumentos de época e leitura historicamente inspirada das fontes musicais”

Desde a sua criação, a orquestra realizou várias digressões ao Brasil, e nesta sua vinda á Europa, além de Lisboa e Queluz inclui a cidade espanhola de Sevilha, onde atuam hoje. No ano passado, a orquestra publicou o CD “Dei Due Mondi”, com obras de autores italianos e ibéricos, que “influenciaram a formação do contexto lusófono em que se insere o Brasil”.