Operação da PSP e da PJ em bairros da Amadora resulta em nove detenções

Operação da PSP e da PJ em bairros da Amadora resulta em nove detenções
Os detidos na operação conjunta da PSP e da Polícia Judiciária (PJ) em bairros da Amadora, realizada hoje de manhã, por crimes violentos em transportes e na via pública, aumentaram de sete para nove, disse  fonte policial.
   
"O número de detidos subiu para nove e continuam diligências que podem fazer aumentar as detenções", afirmou o intendente Luís Pebre, da Divisão da Amadora da Polícia de Segurança Pública.
 
Em comunicado, a PJ informou que, em articulação com a PSP, "deu cumprimento a 13 mandados de busca domiciliária, visando residências situadas no Bairro 6 de Maio, Casal da Mira, Bairro do Zambujal e Estrada Militar, todas no concelho da Amadora".
 
Além das buscas cumpridas pela PJ, a esquadra de investigação criminal da PSP da Amadora também concretizou mais oito buscas, incluindo no bairro da Boba, na Amadora, e numa residência em Mira Sintra, no concelho de Sintra, revelou fonte policial.
 
Segundo a nota da PJ, "as buscas foram destinadas à localização e detenção de suspeitos da prática de crimes violentos, nomeadamente roubos com recurso a armas de fogo, bem como recolha de elementos de prova e recuperação das armas utilizadas".
 
"O resultado foram sete detenções confirmadas, todas elas associadas aos processos em investigação, e mais cinco pessoas conduzidas para atos processuais, nomeadamente reconhecimentos, e daqui pode resultar mais uma ou outra detenção em função de serem ou não reconhecidos pelas vítimas", salientou à Lusa, no final da operação, Luís Pebre.
 
Na sequência das diligências, os detidos pela PSP e pela PJ aumentaram para nove, mas o número final só deverá ficar determinado após a conclusão das investigações ainda em curso.
 
"Os visados são suspeitos de, ao longo dos últimos três meses, terem praticado diversos crimes de roubo na via pública, incluindo a taxistas, apropriando-se de elevadas quantias em dinheiro, telemóveis e diversos objetos em ouro", refere a nota da PJ.
 
No comunicado acrescenta-se que "as vítimas foram, principalmente, pessoas que, por motivos profissionais ou pessoais, circulavam junto do Bairro 6 de Maio, sendo interpeladas e, depois, roubadas pelos autores", com o recurso a armas de fogo.
 
"A operação visou a criminalidade violenta, roubos a pessoas onde era utilizada força física, facas e outras armas, não só na via pública, mas também em transportes públicos, em comboios e táxis", explicou, por seu lado, o comandante da PSP da Amadora.
 
No decurso das operações foram apreendidos telemóveis e 'tablets' obtidos nos roubos, roupas utilizadas nos assaltos, que servem como prova, e "uma réplica de uma arma de guerra, supostamente utilizada em assaltos à mão armada", adiantou Luís Pebre.
 
A réplica era de uma espingarda automática G36, uma das armas utilizadas pelo Grupo de Operações Especiais (GOE) da PSP.
 
A operação começou às 06h00 e terminou cerca das 09h00, envolvendo 150 elementos da PSP e da Polícia Judiciária e dois magistrados do Ministério Público, de acordo com fonte policial.