Oito dezenas de equipas participam no Rally de Portugal Histórico

Oito dezenas de equipas participam no Rally de Portugal Histórico
Oito dezenas de equipas participam entre terça-feira e sábado no Rally de Portugal Histórico, que este ano é aberto a viaturas de 1946 a 1984, anunciou hoje Mário Martins da Silva, da comissão organizadora.
“Desde a primeira hora que o Rally de Portugal Histórico tem revelado uma grande capacidade de atração junto das equipas estrangeiras. Estarão presentes os grandes especialistas europeus desta vertente de ralis”, afirmou, durante uma conferência de imprensa realizada em Viseu.
Mário Martins da Silva explicou que “a grande maioria das cerca de 80 equipas participantes é originária de países como França, Espanha, Bélgica, Luxemburgo, Noruega e Suíça”.
“Confirma-se assim o enorme potencial do Rally de Portugal Histórico para a divulgação turística do nosso país e em particular das regiões que atravessa”, sublinhou.
Os jardins do Casino Estoril continuarão a ser os pontos de partida e de chegada da prova do Automóvel Clube de Portugal (ACP), mas “em três dos cinco dias há passagem por Viseu”, acrescentou.
Segundo o responsável, o dia de quarta-feira terá como ponto alto o habitual “slalom” na Avenida da Europa, em Viseu, onde a partir das 18:20 irão competir “muitos dos carros que fizeram história nas diversas edições do Rali de Portugal do Mundial”.
O Renault Alpine A110 de 1964, o Renault 8 Gordini, diversos Porche 911, vários modelos de BMW, o Ford Escort RS1800 e o Ferrari 308 GTB de 1976 são alguns dos carros que poderão ser revistos.
“Com um total de mais de 1.800 quilómetros repartidos por cerca de 700 quilómetros competitivos ao longo de quatro etapas e 45 classificativas, a prova terminará, como já é tradição, com as passagens noturnas pelos locais míticos das especiais de Sintra”, acrescentou.
O vice-presidente da Câmara de Viseu, Joaquim Seixas, considerou que o Rally de Portugal Histórico “afirma e demonstra a atratividade de Viseu, da cidade e da região, como destino de eventos e de turismo ativo”.
Joaquim Seixas avançou que a Câmara está a estudar com o ACP a possibilidade de, em futuras edições, a competição passar no centro histórico de Viseu.
“As características do evento oferecem uma oportunidade de promoção do coração da cidade”, realçou.