Oeiras inaugura Centro de Apoio Animal

Oeiras inaugura Centro de Apoio Animal

A Câmara Municipal de Oeiras inaugurou o Centro de Apoio Animal no Jardim Municipal de Oeiras, dia 10 de maio no decorrer da Feira Animal, o qual consiste num serviço de apoio a animais vadios ou errantes, bem como a animais à guarda do Município, promovendo a saúde dos mesmos e a sua esterilização.

A criação deste novo serviço insere-se no âmbito da política de apoio ao animal do Município e consiste numa forma de garantir a dignidade e saúde dos animais vadios ou errantes, promovendo ao mesmo tempo a sua esterilização como forma de controlo do número de felídeos em colónias.

No que diz respeito aos felídeos, esta política municipal assenta em dois eixos fundamentais nomeadamente: captura, esterilização e devolução ao meio em colaboração com as associações de promoção do bem-estar animal e rede de cuidadores informais e campanhas de adoção permanentes.

A Câmara continuará a garantir o apoio aos adotantes de animais, promovendo a esterilização prévia à adoção ou, não sendo possível, custeando a esterilização dos animais adotados.

O Centro de Apoio Animal está dotado de um assistente operacional, com vasta experiencia na área animal e grande formação nos cuidados a prestar aos animais, e de um Veterinário, que presta todos os cuidados de saúde necessários aos gatos vadios ou errantes, procedendo também á sua esterilização.

Este Centro também disporá ocasionalmente de alimentação para animais de munícipes carenciados, promovendo campanhas de recolha em parceria com a OMV e através da recolha de donativos junto dos fabricantes e distribuidores.

Importante referir que a esterilização dos animais de rua, principalmente gatos, é a única forma de controlar a sua reprodução e, assim, controlar o número de gatos e colónias de rua.

O número de gatos silvestres e domésticos existente nas urbes tem que ser controlado sob pena de se tornar um problema de saúde publica, agravado até pelo facto de existirem munícipes que insistem na alimentação de animais na via publica de forma inadequada (despejando restos de comida), o que, sendo prejudicial para os animais, conspurca o espaço público motivando inúmeras reclamações pela sujidade e maus cheiros que provoca.

Tem sido realizado um esforço grande de adoção dos felinos vadios ou errantes, das várias colónias existentes no Concelho, e dos gatos que diariamente são abandonados no Jardim Municipal. Neste momento, foi possível fazer adotar a quase totalidade dos gatos domésticos abandonados no Jardim Municipal, restando uma média de 70 gatos não adotáveis uma vez que são silvestres.

Este trabalho da Autarquia deve ser partilhado com as associações de bem-estar animal e os cuidadores informais de animais vadios ou errantes, formando uma rede de trabalho que possibilite a captura e devolução ao meio dos felinos, assegurando a Câmara a sua esterilização e cuidados de saúde.