Oeiras e Cascais no Top 10 das cidades para viver, investir e visitar

Oeiras e Cascais no Top 10 das cidades para viver, investir e visitar

O Bloom Consulting Country Brand Ranking© coloca Lisboa, Oeiras e Cascais no Top 10 dos municípios portugueses. Lisboa lidera o ranking nas três categorias. É considerada a melhor cidade para investir, para viver e para visitar. A nível nacional, seguem-se Porto e Braga. Na quarta posição, está Oeiras. Um pouco mais atrás, na 10ª posição, vem Cascais. Negócios e Turismo, respetivamente estão na base da inclusão de ambos os municípios no Top 10 nacional.

Cascais, Sintra e Setúbal terminam com resultados muito idênticos. Sintra e Cascais ultrapassam Oeiras pela sua capacidade de atrair novos residentes. Já Oeiras, bate os dois municípios ao nível do Investimento.

Sesimbra, Alcochete e Mafra conseguiram atrair a maior percentagem de novos residentes a nível regional, com Sesimbra a obter o melhor resultado a nível nacional. Destacam-se ainda os resultados do Seixal na dimensão Viver (Talento) e de Palmela ao nível de Visitar (Turismo).

 

Finalmente, Lisboa e Oeiras são líderes nacionais em “Social Media”. Lisboa e Sintra obtiveram um resultado bastante positivo ao nível de “Website Analytics”.

 

Especializada no trabalho de “marcas-país”, um pouco por todo o mundo, a Bloom Consulting acaba de iniciar a sua atividade no mercado português. Com base neste know-how adquirido através da publicação do Bloom Consulting Country Brand Ranking©, que analisa, anualmente, mais de 220 países relativamente à sua “Country Brand”, a consultora desenvolveu, pela primeira vez, o Bloom Consulting Portugal City Brand Ranking©, um projeto onde a eficácia de cada um dos 308 Municípios portugueses foi avaliada e classificada de acordo com a sua "performance" nas vertentes de Investimento (Negócios), Turismo (Visitar) e Talento (Viver).

«Uma “marca-cidade” é um ativo para os municípios. Deve ser gerida de forma a potenciá-los e com o propósito de alcançar diferentes objetivos. Segundo a nossa metodologia, existem três dimensões primordiais através das quais se pode aferir, de forma tangível, o potencial de uma “marca-cidade”: comércio (investimento), turismo e talento», explica Filipe Roquette, diretor geral da Bloom Portugal.

 

«Numa altura em que os orçamentos locais se encontram sujeitos a um processo de escrutínio intenso, todas as autarquias devem assegurar que todos os cêntimos gastos são um bom investimento. É por esta razão que agora, mais do que nunca, há uma necessidade de aplicar medidas fiáveis para garantir sucesso da estratégia de “Region” e “City Branding. Este ranking não podia ter sido lançado em momento mais oportuno. Portugal enfrenta desafios económicos consideráveis e a previsão de recuperação afigura-se bastante lenta. O Bloom Consulting Portugal City Brand Ranking© pode desempenhar um papel cimeiro na ajuda aos Municípios, não só no que toca à definição de prioridades, mas também na perceção da imagem que estes têm no resto do País e internacionalmente», acrescenta.

 

Sobre o Bloom Consulting City Brand Ranking © 2014

O Bloom Consulting City Brand Ranking © 2014 é um estudo completo que mede a eficácia da estratégia de gestão da marca de cada município, separadamente. Baseia-se em fatos concretos, que incluem o desempenho e o crescimento económico das cidades. Estes dados objetivos são acompanhados por dados subjetivos, que medem o impacto económico da estratégia de gestão de marca de cada município.

 

«Antecipar o futuro e enfrentá-lo com entusiasmo é a nossa filosofia. Precisamos sempre de inovar e questionar tudo o que fazemos e, para tal, investimos 6 meses do ano em “Research” para saber o que cada país, região ou cidade no mundo inteiro está a fazer, para saber como podemos melhorar», explica Jose Filipe Torres, CEO da Bloom Consulting. «Mais do que nunca, num mundo globalizado, é necessário que as cidades e Municípios consigam utilizar novas ferramentas, que tenham como principal objetivo atrair investimento, novos turistas e que consigam garantir condições de fixação de novos residentes ou atrair talento específico. Por outras palavras, consigam criar crescimento socioeconómico graças à sua marca regional», acrescenta.