Obras, PDM e mobilidade no centro do debate sobre o estado do município de Oeiras

Obras, PDM e mobilidade no centro do debate sobre o estado do município de Oeiras
Obras feitas e ainda por fazer, como o centro de congressos, a aprovação do novo Plano Diretor Municipal (PDM) e a necessidade de melhorar a mobilidade em Oeiras estiveram no centro da discussão sobre o estado do município.
 
Na assembleia municipal, dedicada ao tema, os partidos da oposição ao executivo liderado pelo movimento independente Isaltino Oeiras Mais à Frente (IOMAF) apontaram diversas "falhas" na governação de Paulo Vistas.
 
Entre os aspetos a melhorar, foram referidos os acessos, uma "preocupação" partilhada pelo presidente da câmara: "A mobilidade é uma preocupação. Está na linha da frente como uma área em que temos de buscar soluções sustentáveis e integradas com os nossos concelhos vizinhos", disse Paulo Vistas.
 
A "obra parada" do Centro de Congressos, em Paço de Arcos, desde 2011, foi outra das questões levantadas pela oposição, que pediu esclarecimentos a Paulo Vistas sobre o futuro do edifício.
 
"Também não concordo com aquilo que lá está. Estou a trabalhar afincadamente para que, até final do mandato, o pavilhão esteja concluído e estamos no bom caminho", afirmou o autarca, sublinhando que a câmara não pagou nada pelo que já está concluído.
 
Outro dos problemas levantados foi a limpeza urbana e Paulo Vistas reconheceu que este serviço "tem de melhorar": "Nos próximos dois anos iremos melhorar substancialmente a limpeza do município", afirmou.
 
O Plano Diretor Municipal, aprovado sob forte contestação no dia 29 de junho, foi hoje novamente discutido, com alguns deputados da oposição a lamentar a falta de participação pública e a reiterar a rejeição do documento.
 
"Este PDM não é com certeza o que eu ambicionava. Não é o ideal, mas é uma boa proposta e para conseguir a sua aprovação tivemos de dialogar. Demorou 10 anos a ser aprovado e foram chamadas mais de 30 entidades para dar um parecer", justificou Paulo Vistas.
 
O impacto da futura "cidade do futebol", que está a ser construída, foi também questionado pela oposição, com Paulo Vistas a assegurar que será "muito positivo" para o concelho.