Novos estatutos da Tratolixo reduzem administradores e vencimentos

Novos estatutos da Tratolixo reduzem administradores e vencimentos

A empresa de tratamento de resíduos Tratolixo, que atua nos concelhos de Cascais, Oeiras, Sintra e Mafra, aprovou novos estatutos que contemplam a redução de cinco para três administradores, cujas remunerações serão também reduzidas.

Num comunicado divulgado hoje, a Tratolixo dá conta de que a principal mudança da revisão dos estatutos da empresa assenta na "diminuição do número de administradores, redução de remunerações e a criação de uma direção geral".
Questionada pela Lusa, a empresa esclareceu que em vez de cinco passam a ser três os órgãos sociais (cada um dos quais com um administrador), sendo que só dois dos administradores é que serão remunerados.
"O vencimento está limitado ao valor da remuneração de vereador a tempo inteiro das câmaras municipais integradas no sistema, mas sofrem uma redução de cerca de 60% nos seus vencimentos", acrescentou.
Questionada sobre quanto é que estas reduções vão permitir poupar, a administração da empresa não quis, para já, adiantar valores.
No que respeita a composição, a mesa da assembleia geral da Tratolixo passa a ser constituída por um presidente, um vice-presidente e um secretário, eleitos sem limite de mandatos. 
O conselho de administração será composto por um presidente e por um máximo de dois vogais, podendo ainda ser coadjuvado por um diretor geral. 
A Tratolixo é uma empresa intermunicipal de capitais integralmente públicos, detida em 100% pela AMTRES - Associação de Municípios de Cascais, Mafra, Oeiras e Sintra para o Tratamento de Resíduos Sólidos.