Novo Renault Captur: Pronto para entrar na moda

Novo Renault Captur: Pronto para entrar na moda

Chegou agora e promete ganhar posição no cada vez mais concorrido segmento dos crossover urbanos. Chama-se Captur e, segundo a Renault, tem uma conjugação única de monovolume, SUV e berlina. Foi em Biarritz, no País Basco, que registámos as primeiras impressões (bastante positivas) do novo modelo.

 

Tal e qual como o Nissan Juke, com quem partilha a plataforma (a mesma do Renault Clio), o Captur é, assim, a proposta ideal para quem sonha com um SUV mas não tem possibilidade de lá chegar. Até porque, os preços propostos pela Renault iniciam-se nos 15.450 euros, para a versão base equipada com o novo motor 0.9 TCE a gasolina, de 90 cavalos, enquanto a versão como motorização diesel 1.5 dCi, de 90 cavalos, custará mais 3500 euros.

 

O novo Renault Captur surpreende pela estética, com um ar musculado e robusto, dispondo de um extenso programa de personalização. Com as várias opções de carroçaria a dois tons, cores das jantes, acabamentos interiores claros e escuros, tecidos dos estofos e padrões, o Captur será apelativo para todos os gostos.

Outro ponto forte tem a ver com a habitabilidade: Apesar de compacto (pouco mais comprido que o Novo Clio), o Renault Captur é particularmente espaçoso. O banco traseiro deslizante permite o equilíbrio ideal de espaço para passageiros e bagagem (capacidade máxima de bagageira de 455dm3).

 

A posição de condução elevada inspira confiança e conforto, tal como as características de segurança passiva, comportamento dinâmico e o desempenho da travagem. O Captur herda o nível de conforto da plataforma B que partilha com o Novo Clio.

No habitáculo, duas inovações engenhosas sublinham o espírito prático do Captur: uma grande gaveta - que substitui o porta-luvas - de fácil acesso ao condutor, com uma capacidade de 11 litros, e a disponibilidade de capas de estofos removíveis e laváveis à máquina.

O tablet digital multimédia integrado, R-Link, permite o acesso a um nível de conectividade sem precedentes, com um catálogo de aplicações para automóveis que está em permanente expansão.

 

Prazer de condução e economia de combustível são os denominadores comuns dos motores, 100% turbo, do Captur. O motor a gasolina Energy TCe 90 (três cilindros de apenas 898cc) e o motor diesel Energy dCi 90, com um consumo recorde de apenas 3.6 litros/100km e 95g de CO2 por km (dados do construtor) revelam competência mais do que suficiente. O motor dCi 90 estará disponível, posteriormente, com a transmissão EDC.

Tal como já escrevemos a propósito dos ensaios ao novo Clio, a opção pela motorização TCe a gasolina é a mais indicada para a maioria dos utilizadores, pois os consumos são moderados e as prestações muito semelhantes às da versão diesel. A vantagem está no preço. Basta fazer contas.

(Veja a Galeria de Fotos)

Paulo Parracho

Renault Captur