Novo PDM de Loures prevê mais atividades económicas e legalização de bairros clandestinos

Novo PDM de Loures prevê mais atividades económicas e legalização de bairros clandestinos
O aumento das áreas destinadas às atividades económicas e a legalização dos bairros de génese ilegal são os principais objetivos do novo Plano Diretor Municipal (PDM) de Loures, que entrou em vigor no final da semana passada.
 
Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara de Loures, Bernardino Soares (CDU), congratulou-se hoje com a entrada em vigor do novo PDM, após 15 anos de revisão e de uma “alargada discussão pública”, sublinhando que este prevê um conjunto de alterações importantes, relativamente ao anterior.
 
Segundo o autarca, a diminuição da área urbanizável, o facilitamento dos processos de legalização de Áreas Urbanas de Génese Ilegal (AUGI) e a criação de novos espaços destinados a polos de atividades económicas são algumas das prioridades estabelecidas no documento.
 
“Considerámos que não havia necessidade de termos mais áreas urbanizáveis. Existe um excesso de fogos. Assim, este PDM está assente em eixos como a qualificação ambiental e territorial, a coesão sócio territorial e qualificação socioeconómica”, explicou.
 
Nesse sentido, Bernardino Soares referiu que, ao longo do processo de revisão, o documento foi sofrendo algumas correções, a última delas a eliminação de duas novas áreas urbanizáveis que estavam previstas para duas freguesias do concelho.
 
O autarca comunista sublinhou que, ao invés, a autarquia irá dar prioridade ao desenvolvimento das áreas destinadas às atividades económicas, estando previstos já a criação e o alargamento de polos tenológicos junto ao Hospital de Loures, na zona do Mercado Abastecedor da Região de Lisboa (MARL) e na freguesia de Santa Iria da Azóia.
 
A ampliação de espaços públicos de lazer, como é o caso do Parque Urbano de Santa Iria de Azóia, a reserva de “espaço-canal” para a concretização de novas vias rodoviárias programadas e a requalificação urbana e paisagística, são outras das orientações do novo PDM.
 
“Acreditamos que este novo PDM irá contribuir para fixar mais atividades económicas, para aumentar a oferta qualificada de emprego e dar mais sustentabilidade à estratégia de desenvolvimento turístico do concelho”, perspetivou.