Novo Museu das Notícias deve abrir em Sintra em março de 2016

Novo Museu das Notícias deve abrir em Sintra em março de 2016
O News Museum, espaço museológico dedicado às notícias e à comunicação, vai ser inaugurado em março de 2016, em Sintra, tendo sido hoje assinado o protocolo nesse sentido com a Câmara Municipal.
 
“O museu das notícias vai ser uma maneira de ajudarmos as outras pessoas a conhecerem melhor os fenómenos da comunicação, da informação e do jornalismo”, explicou Luís Paixão Martins, promotor do futuro Museu das Notícias, dos Media e da Comunicação, que irá ocupar as antigas instalações do Museu do Brinquedo.
 
O município cedeu o imóvel no centro histórico, por 20 anos, à associação de Acta Diurna para a instalação do News Museum, num investimento estimado de 1,8 milhões de euros.
 
Segundo Luís Paixão Martins, “o museu das notícias vem ocupar um edifício no coração da oferta turística, da centralidade de Sintra” e pretende ajudar “na qualificação do turismo” da vila.
 
O antigo jornalista e atual empresário do setor da comunicação assumiu que o News Museum partiu de “um projeto pessoal”, mas teve o cuidado de procurar a colaboração de reconhecidos profissionais do jornalismo, que aceitaram participar na sua criação.
 
“Gostávamos muito que o museu fosse uma espécie de ‘showroom’ das últimas tecnologias do mundo mediático”, admitiu Luís Paixão Martins, que deu conta dos contatos com a RTP para colaborar na produção dos conteúdos do novo espaço museológico.
 
Os trabalhos de remodelação do interior do edifício devem começar na “próxima semana” e o dirigente da Acta Diurna e fundador do grupo de comunicação LPM espera que o museu “abra a 03 de março de 2016”.
 
O presidente da Câmara de Sintra, Basílio Horta (PS), considerou que o novo museu é “uma homenagem ao jornalismo e à comunicação social” e que representa um “excelente investimento” para a autarquia e para a associação.
 
“O papel da comunicação social é o de ser uma força independente, que tem de ser aferida por critérios de verdade e de serviço”, salientou o autarca, acrescentando que o projeto permitirá homenagear a comunicação social, enquanto “base da democracia, do Estado de direito e da cidadania”.
 
Para Basílio Horta, o museu vai criar “uma nova e original centralidade”, porque só existe outro equipamento do género em Washington (Estados Unidos da América), que será importante “não apenas para Sintra, mas também para a Área Metropolitana de Lisboa”.
 
O News Museum vai ser “um elemento de cultura e de cidadania” e potenciar a atração de novos visitantes para a vila, além de “abrir as portas ao conhecimento” de novas gerações para episódios de relevo da história do país, sublinhou.
 
O protocolo estipula que a associação vai pagar uma renda mensal de 650 euros, ficando responsável pelo investimento na remodelação do imóvel e funcionamento do museu, que num espaço físico e também virtual pretende apresentar uma história da evolução dos “media” e das disciplinas do jornalismo.
 
O espaço museológico será repartido, entre outras secções, nas áreas da “propaganda”, “géneros” jornalísticos, “bad news”, “mind games”, “guerras” e “newspapers”.
 
A associação quer envolver profissionais, empresas de comunicação e escolas de jornalismo, comunicação e marketing na conceção e gestão dos conteúdos, constituindo um “conselho de curadores” com personalidades do setor.
 
Um comité do “panteão” vai selecionar os profissionais que serão objeto de homenagem perpétua do museu e a componente internacional será promovida em colaboração com o Newseum, museu do género instalado em Washington.