Novo heliporto de Algés vai reforçar oferta turística na região

Novo heliporto de Algés vai reforçar oferta turística na região

Os turistas vão ter agora a oportunidade de conhecer a região de Lisboa pelo céu através de um novo serviço que oferece passeios de helicóptero a partir do heliporto de Algés, em Oeiras, agora inaugurado.

A "Lisbon Helicopters" é o nome do projeto criado pelo grupo Helibravo, que, segundo o seu diretor, João Maria Bravo, investiu um milhão de euros para este reforço da oferta turística da capital, com passeios em rotas definidas ou personalizadas.

"Com a grande crise económica no país e na Europa, foi uma grande aventura da minha parte, mas estou convencido de que vai correr bem", disse João Bravo, que prevê atingir as 300 horas por ano de voos e admite poder aumentar a frota de helicópteros.

À disposição dos turistas estarão dois helicópteros permanentes e as rotas pré-definidas são para sobrevoar Lisboa, Cascais e Sintra, mas também há disponibilidade para rotas mais alargadas, até à Comporta e Fátima.

Dentro dos voos pré-definidos, o mais barato tem um custo de 35 euros e o mais caro um custo de 185 euros. Os pedidos personalizados poderão ter custos mais elevados.

O projeto surgiu há 22 anos, mas burocracias e regimentos da Administração do porto de Lisboa atrasaram a sua implementação e, por isso, só há dois anos é que foi autorizado.

Localizado junto à Torre de Controlo de Navegação do Porto de Lisboa, o novo Heliporto de Algés vai ser a base deste serviço.

Na inauguração de hoje estiveram presentes os presidentes da Câmara de Oeiras, Paulo Vistas, e da Câmara de Lisboa, António Costa.

Para o autarca de Oeiras, o projeto "acrescenta valor, traz desenvolvimento, promove o território e contribui decisivamente para melhorar a nossa oferta turística".

António Costa considerou que a valorização da região de Lisboa como destino turístico tem de ser "um exercício de cooperação e partilha”: “É isso que permite termos aqui hoje este heliporto e esta oferta turística acrescida", referiu.

O autarca de Lisboa disse ainda que é essencial fazer uma reforma da administração para a "desregulamentação, simplificação e combate à burocracia".

"Não é admissível tantos anos para pôr em funcionamento um projeto desta natureza", acrescentou.

O serviço “Lisbon Helicopters” estará disponível a partir de 01 de junho.