Novo equipamento social nasce no Murtal

Novo equipamento social nasce no Murtal

Instalações da Cooperativa Horizonte acolhem 72 crianças em creche e 75 em pré-escolar.
Em actividade desde o início do ano lectivo, foi inaugurado, no passado sábado, dia 20 de Outubro, o novo Centro de Apoio à Família “Educar para Incluir” da Horizonte, Cooperativa de Solidariedade Social e de Ensino, situado no Murtal. Com capacidade para acolher 72 crianças na valência de creche e 75 em ensino pré-escolar, este equipamento contou com o apoio da Câmara de Cascais e permitiu a criação de 40 postos de trabalho directo.
As novas instalações integram as valências de creche para 72 crianças dos três aos 36 meses e pré-escolar para 75 crianças, dos três aos cinco anos. Contando com zonas comuns às duas valências, como refeitório e outros espaços partilhados, o novo equipamento dispõe de dois berçários e duas salas de um ano a que se juntam outras duas de dois anos. No ensino pré-escolar há uma sala para cada grupo etário de três, quatro e cinco anos, acolhendo cada uma 25 crianças. O “Educar para Incluir” garante ainda a resposta social de Componente de Apoio à Família.
Com a entrada em funcionamento deste equipamento, foi possível dar resposta às necessidades das famílias e ainda criar 40 postos de trabalho directo, incluindo dois postos de trabalho para pessoas portadoras de deficiência. Desta forma na Cooperativa Horizonte passa de quatro para seis vagas a abrangência do ENCLAVE, Regime de Emprego Protegido, em parceria com a CERCICA, alargamento já aprovado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional.
Este novo equipamento social implicou um investimento na ordem de 1,6 milhões de euros e contou com a parceria da Câmara de Cascais, que apoiou financeiramente em cerca de 870 mil euros, verbas aplicadas na construção e apetrechamento da creche, mas também para garantir o funcionamento da mesma enquanto não são celebrados os acordos com a Segurança Social. O equipamento contou ainda com o apoio do Instituto da Segurança Social – IP e do Ministério da Educação e Ciência.
O apoio municipal para funcionamento neste período inicial permite receber desde já crianças de famílias com rendimentos mais baixos, garantindo a sustentabilidade da creche, uma vez que a Câmara de Cascais investe a diferença entre o custo real da frequência e o valor que as famílias podem suportar de acordo com o rendimento da família.