Novo Centro Comercial Alegro apresentado em Setúbal

Novo Centro Comercial Alegro apresentado em Setúbal

Centenas de setubalenses assistiram terça-feira à noite à apresentação do futuro Centro Comercial Alegro, investimento de 110 milhões de euros que prevê a criação de mil postos de trabalho directos e a requalificação da principal entrada da cidade.
"A principal entrada de Setúbal, onde hoje existe um cruzamento [no fim da auto-estrada], terá uma rotunda e será criada uma via alternativa que vai ligar a parte comercial actualmente existente à Avenida Antero de Quental, de forma a que possamos realizar a obra do novo viaduto", disse o director geral da Immochan, imobiliária do grupo Auchan, na apresentação pública do projecto.
"O viaduto que lá está, que dá acesso à zona norte onde está implantado o Jumbo, será substituído por um viaduto de quatro faixas", acrescentou Mário Costa, no final da sessão pública de apresentação do futuro Alegro, a que assistiram centenas de setubalenses.
O futuro centro comercial, que vai nascer a partir da ampliação do hipermercado Jumbo, na Nova Azeda, dispõe de uma área global de 130 mil metros quadrados e deverá ter 115 lojas, duas dezenas de restaurantes e dez salas de cinema com equipamento digital.
De acordo com o responsável da Immochan, as obras do Alegro deverão arrancar ainda este mês de janeiro, estando a inauguração do futuro Alegro prevista para o último trimestre de 2014.
A presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, salienta que a construção do novo centro comercial vai contribuir decisivamente para modernizar a principal entrada da cidade e a zona da Azeda.
"É um projeto que vai ajudar à requalificação da cidade, de uma cidade que começava no final de auto-estrada. Acho que deve ser caso único em Portugal. Finalmente, vamos amenizar essa aberração, que foi a concessão de uma auto-estrada acabar onde começa a cidade", disse.
Para além das obras referidas, a imobiliária do grupo Auchan vai ainda construir uma outra rotunda no entroncamento da avenida Antero de Quental e estrada dos Ciprestes.
Segundo Maria das Dores Meira, todas as obras serão custeadas pela Immochan, que beneficia de um desconto equivalente nas taxas municipais que teria de pagar à autarquia.
Além da requalificação urbana e viária da zona envolvente do futuro Centro Comercial Alegro, a Câmara de Setúbal vai ainda receber uma verba de 500 mil euros da Immochan, ao abrigo da Lei do Mecenato, para os projetos de construção do futuro Parque Urbano da Várzea, Centro de Mar, na zona ribeirinha, e Centro do Parque Tecnológico de Setúbal.
Na cidade de Setúbal ouvem-se frequentemente os lamentos de muitos setubalenses devido à inexistência de um grande centro comercial, a exemplo dos que existem nas principais cidades portuguesas, pelo que muitos acabam por fazer compras em espaços comerciais do Montijo, Almada e Lisboa.
Em janeiro de 2011 a multinacional holandesa Multi-Development também tinha anunciado a construção de um centro comercial na zona do Vale da Rosa, mas o projecto ainda não saiu do papel.
Segundo revelou à Lusa a presidente da Câmara de Setúbal, os promotores tinham a intenção de avançar, mas depararam-se com dificuldades de financiamento que atrasaram o projecto.