Nova ponte pedonal do MAAT da Fundação EDP vai estar pronta em novembro

Nova ponte pedonal do MAAT da Fundação EDP vai estar pronta em novembro
A nova ponte pedonal de acesso ao Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa, inaugurado há um ano, vai estar operacional em novembro, revelou hoje à agência Lusa fonte da Fundação EDP.
 
De acordo com a mesma fonte, a ponte, que possibilitará aos visitantes acederem ao museu passando sobre a avenida da Índia, a linha de comboio e a avenida Brasília, está concluída, mas aguarda ainda a instalação do sistema de iluminação.
 
A nova ponte foi desenhada pela arquiteta britânica Amanda Levete, e faz parte do projeto do MAAT, inaugurado há um ano, no feriado nacional de 05 de outubro.
 
A estrutura parte do largo Marquês de Angeja, em Belém, entre a rua da Junqueira, a travessa da Pimenteira e a rua do Cais da Alfândega Velha, fazendo a ligação à cobertura do MAAT, à beira rio.
 
Há um ano, no dia da inauguração, o recinto e interior do MAAT, na zona de Belém, acolheu mais de 60 mil pessoas, segundo números divulgados na altura pela Fundação EDP.
 
Cerca de 22 mil pessoas visitaram as exposições na Central Tejo e no novo edifício, desenhado pela arquiteta britânica Amanda Levete, do ateliê AL_A.
 
O MAAT envolve um espaço global de 38 mil metros quadrados na frente ribeirinha, na zona de Belém, e o novo edifício custou 20 milhões de euros.
 
O museu vai celebrar o primeiro ano de existência na quinta-feira, com entrada gratuita ao público e um programa de atividades, passando, a partir dessa data, a funcionar com novo horário, das 11:00 às 19:00, mantendo-se terça-feira como dia de encerramento.
 
Esta terça-feira, porém, será inaugurada a instalação sonora "Shadow Soundings", concebida pelo artista norte-americano Bill Fontana a partir dos sons da Ponte 25 de Abril e do rio Tejo, em Lisboa. Trata-se de uma obra encomendada pelo MAAT, para a Galeria Oval do edifício, para assinalar o primeiro aniversário.
 
Bill Fontana, 70 anos, nascido em Cleveland, nos Estados Unidos, tornou-se conhecido pelo trabalho pioneiro e experimental na área da arte sonora.
 
A obra tem curadoria de Pedro Gadanho, diretor do MAAT. Serão igualmente inauguradas as exposições "Quote/Unquote - Entre a apropriação e o diálogo", com curadoria de Ana Anacleto e Gabriela Vaz-Pinheiro, e uma mostra inserida no programa Artists' Film International, com curadoria de Daniela Agostinho.
 
O balanço do primeiro ano do MAAT e o programa de atividades que celebra o aniversário serão apresentados em conferência de imprensa da Fundação EDP, na manhã de terça-feira.