Nova Isuzu D-Max: Preparada para todo o serviço

Nova Isuzu D-Max: Preparada para todo o serviço
A Isuzu D-Max está mais bonita e imponente do que nunca. A nova geração da popular pick-up apresenta uma frente totalmente redesenhada, com a grelha cromada a sobressair entre os faróis rasgados e dotados de luzes diurnas em LED. A imagem atlética e musculada, mas ao mesmo tempo a fazer lembrar os grandes SUV americanos leva-nos a pensar que mais do que um carro de trabalho, com versões 4x2 e 4x4 com várias combinações de cabina e caixa de carga, este é mais um produto com aptidões fortes para o lazer.
 
A versão testada pelo JR, de cabina longa, caixa automática de seis velocidades e o mais completo nível de equipamento, é capaz de concorrer em qualidade com a maioria dos SUV disponíveis no nosso mercado. Perderá em termos de conforto, é certo, mas os ganhos de eficiência e dinâmica na abordagem aos terrenos mais difíceis compensa, e de que maneira. Foi o que pudemos constatar em trilhos de média e maior dificuldade na zona saloia de Sintra e Mafra, que a D-Max superou sem qualquer dificuldade.
 
Como dissemos, em estrada, dependendo da pressão dos pneus, o conforto não será o maior atributo de um veículo com estas características, pelo que só o recomendamos a quem, realmente, faça uso das suas competências off-road, seja em lazer ou em trabalho.
 
A pick-up da marca nipónica, terceira no ranking das vendas em Portugal em 2016 (372 unidades) está agora dotada de competente motor 1.9 turbodiesel com 164 cv e 360 Nm de binário máximo, proporcionando, inclusive, consumos bastante aceitáveis. 
 
A capacidade de reboque é de 3,5 toneladas nas 4×4 (2,5 toneladas para as 4×2), a carga transportável aumentou entre 30 a 60 quilos e a caixa de transporte tem 2,305 m e comprimento por 1,570 m de largura e 44 cm de altura. O ângulo de ataque é de 30 graus, o de saída 22,7; a máxima inclinação suportada chega aos 49 graus. As versões de trabalho podem contar com uma caixa em madeira.
 
No interior, tudo foi melhorado, com a versão de lazer a dispor de luxos como bancos em pele, aquecidos à frente e com regulação elétrica para o condutor, bem como, alarme, ar condicionado automático e sistema multimédia com comandos no volante. As ajudas à condução são garantidas 
pelos controlos de estabilidade, de tração e assistência nas descidas. 
 
As jantes variam entre as 15 e 16 polegadas em aço e as 18 polegadas em liga leve.
As versões 4×2 estão homologadas como veículos de Classe 1 nas portagens.
 
Preços: cabina simples – 23 500 e 25 900 euros (4×4); cabina longa – 26 900, 27 500 (4×4) e 29 900 euros (lazer); cabina dupla – 26 600 e 34 900 euros (4×4); cabina dupla (lazer) – 37 500, 38 750 (On Board) e 41 150 euros (automática).
 
Paulo Parracho
 
Saiba mais sobre este modelo: