Nova estação do Metro na Reboleira abre no primeiro trimestre de 2016

Nova estação do Metro na Reboleira abre no primeiro trimestre de 2016
O Metropolitano de Lisboa prevê que a entrada em funcionamento da nova estação na Reboleira, Amadora, assegurando a ligação à linha ferroviária de Sintra, “ocorra durante o primeiro trimestre de 2016”, informou hoje a empresa.
 
Segundo anunciou à Lusa o gabinete de comunicação da Transportes de Lisboa (TL), está prevista “a conclusão dos trabalhos de prolongamento no início de 2016 e que a abertura da estação ocorra durante o primeiro trimestre de 2016”.
 
A assessoria do Metro informou, em junho, que estavam a ser desenvolvidos esforços para “a abertura à exploração até ao final deste ano”, mas afinal o novo troço Amadora Este/Reboleira só entra ao serviço no próximo ano, até março.
 
O prolongamento a partir da estação Amadora-Este, em cerca de 579 metros, “insere-se na estratégia de reforço da intermodalidade com a ferrovia e assegurará a ligação da Linha Azul com a linha de comboios de Sintra”, explicou a empresa que junta Metro, Carris e Transtejo.
 
A empreitada de acabamentos do novo troço, orçada em 8,795 milhões de euros, contempla as especialidades “de construção civil, baixa-tensão, telecomunicações, via-férrea, eletromecânica e arranjos exteriores à superfície na zona adjacente à estação, na Rua das Industrias e no Parque Armando Romão”, acrescentou a TL.
 
No estudo de impacte ambiental do prolongamento à Reboleira, datado de 2007, previa-se a abertura à exploração em agosto de 2010, no entanto problemas de financiamento levaram à suspensão dos trabalhos.
 
“O valor global do empreendimento é de cerca de 60 milhões de euros”, revelou a TL, contabilizando o investimento da primeira fase, que também está abrangido por financiamento comunitário de 42,5 milhões do Fundo de Coesão, para despesas de 2007 a 2015.
 
A empreitada em curso beneficia de fundos europeus do POVT -Programa Operacional Temático de Valorização do Território, com uma taxa de cofinanciamento de 84,4%, ou seja de “cerca de 7,4 milhões de euros”.
 
A Câmara da Amadora aproveitou para investir cerca de 600.000 euros na Avenida D. Carlos I, entre o Bingo do Estrela da Amadora e a estação de comboios da Damaia, trabalhos que devem ficar prontos “no final de fevereiro”, disse à Lusa a presidente da autarquia, Carla Tavares (PS).
 
“Estamos a iniciar a obra, que contamos que esteja terminada na mesma altura [do Metro], para reforço de estacionamento, de zonas de estadia e de iluminação pública, intervenções que vão permitir dotar a zona de maior segurança, para que as pessoas se sintam tranquilas e seguras ao utilizar o espaço público”, frisou a autarca.
 
A autarquia propôs a denominação de Amadora-Sul para a nova estação, na freguesia de Águas Livres, mas, para já, “a estação mantém a designação Reboleira, a qual pode ser alterada se a Transportes de Lisboa considerar outra que melhor se adequa à sua localização e toponímia”, respondeu a empresa.
 
A ligação do Metro aos comboios será coberta e, junto ao interface, serão criados dez terminais para autocarros, e mais quatro nas proximidades, adiantou anteriormente o vereador da Mobilidade e Obras Municipais, Gabriel Oliveira (PS), estimando que a zona passe a ter “quase mil lugares de estacionamento”.
 
A Linha Azul do Metro passará a ter a extensão de 13,7 quilómetros, com 18 estações entre a Reboleira e Santa Apolónia (Lisboa), estimando-se que a ligação à linha ferroviária de Sintra gere uma procura “de cerca de quatro milhões de passageiros/ano”.