Nova Escola Visconde Juromenha abre portas após investimento municipal de seis milhões de euros

Nova Escola Visconde Juromenha abre portas após investimento municipal de seis milhões de euros

Mais de um milhar de crianças já podem usufruir da nova escola EB 2,3  Visconde Juromenha, situada na Tapada das Mercês, freguesia de Algueirão Mem Martins, inaugurada no passado dia 13 de Setembro pelo presidente da Câmara Municipal de Sintra, Fernando Seara.

Com um custo total de 6.000.000,00€ + IVA, este projecto abrangeu uma área de 20.000,00 m2 e visou a construção de um novo edifício escolar instalado no terreno da Escola EB/2,3 de modo a constituir um centro escolar integrado.

Para tal, foi demolida grande parte dos edifícios existentes em pré-fabricação pesada, sendo mantidos o edifício do Centro de Recursos e o ginásio, que foram requalificados.

O novo edifício foi implantado na mesma área dos existentes e tem dois pisos em forma de “L” com 2.860,00 m2, integra 26 salas, laboratórios, salas T.I.C. E.V.T; música e educação visual e está ligado ao edifício do refeitório por uma passagem elevada.

A entrada principal no extremo do edifício tem acesso directo às áreas administrativas e de administração da escola. Em ligação com esta entrada, foi criada uma passagem coberta que encaminha os alunos para outra entrada mais central, para que possam aceder rapidamente às salas de aulas.

O piso 0 fica reservado para a recepção, áreas administrativas e de administração, espaço de apoio socio educativo, sala de convívio de professores, salas de aulas específicas (laboratório, música, EVT/EV) e área de recreio coberto. No piso 1 serão instaladas as salas de aula teóricas e restantes salas laboratório.

O edifício do refeitório com aproximadamente 1.340,00 m2, fica estrategicamente instalado de forma a poder servir a escola do 2º e 3º ciclos.  É composto por bar, cozinha central e tem duas linhas de self-service. O acesso ao refeitório é feito por ponte a partir do piso superior do edifício principal.

No que respeita ao centro de recursos, foi construído um avanço do guarda-vento da entrada, criado um corredor de acesso aos novos espaços de arrecadação e sala de trabalho, o auditório existente sofrerá uma ampliação, as paredes exteriores e interiores serão objecto de tratamento e as paredes do auditório serão forradas a madeira exótica. Na maioria dos tetos serão construídos tetos falsos. Os pavimentos serão substituídos por mosaico cerâmico nas zonas de circulação e arrecadações, sendo em manta acrílica nas salas.

Quanto ao espaço exterior da escola, está prevista a existência de uma ampla superfície, entre a biblioteca e o novo refeitório, livre no seu interior e delimitada por árvores no seu contorno. Junto ao limite poente, a par com os novos campos de jogos (um dos quais coberto), dispõe-se a horta pedagógica.

A entrada da escola faz-se pela frente norte, directamente para uma plataforma única, com ligação exterior coberta que encaminhará os alunos ao corpo escolar principal. Os vários corpos que constituem o edificado escolar serão igualmente cobertos, assegurando-se assim uma alternativa de circulação abrigada.

Com base no programa funcional fornecido pela DREL, o projecto foi desenvolvido por forma a respeitar o quadro legislativo actual, nomeadamente ao nível térmico, ruido e desempenho energético.