Navegar, navegar ao largo de Cascais

Navegar, navegar ao largo de Cascais

Construído em 1910, o galeão “Estou Para Ver” possibilita passeios gratuitos, mediante inscrição, pela costa de Cascais, consoante as condições atmosféricas. Os tripulantes podem ainda aprender a timonar o galeão e ao mesmo tempo aprender a história da embarcação.
Pertence à família dos galeões do Sal: Com 18,5 metros de comprimento, 6 metros de largura, 32 toneladas de peso, construído com madeira de pinho, teve como primeira função a pesca de sardinha. Era uma embarcação de “boca aberta” semelhante a uma casca de noz vazia e nele trabalhavam 40 homens em dois turnos.
Actualmente, é propriedade da Câmara Municipal de Cascais e usado para passeios que proporcionam a oportunidade de navegar ao longo da Costa de Cascais/Estoril no âmbito do programa "Cascais Activo". Além de dois marinheiros que, ao longo do passeio contam a história do barco, podemos ainda contar com a presença de dois 'marézinhas', um durante a manhã, outro no turno da tarde, que prestam auxílio nas manobras, distribuem coletes e fornecem informações.
Os passeios diurnos decorrem todos os sábados e domingos de cada mês, entre as 9h30 e 11h00 e as 11h30 e as 13h00. As inscrições são feitas apenas com 15 dias de antecedência e até ao limite de 35 vagas por passeio e destinam-se a residentes em território nacional.
Os passeios nocturnos têm saída às 21h00, todas as sextas-feiras de cada mês, com a duração de três horas, e também implicam inscrição com 15 dias de antecedência e até ao limite de 30 vagas por passeio.
Qualquer pessoa pode navegar. Há acesso a pessoas deficientes e/ou com mobilidade reduzida.
Os percursos efectuados ao longo da costa pelo galeão variam de acordo com as condições climatéricas e a experiência das pessoas a bordo. A embarcação pode viajar até Carcavelos ou Boca do Inferno. De dia as pessoas podem aprender a manobrar a embarcação e faz-se também uma abordagem sobre o tipo de embarcação em causa, um Galeão do Sal que foi adquirido pela Câmara Municipal de Cascais em 2003.