Na pele de um marinheiro sem sair de Lisboa

Na pele de um marinheiro sem sair de Lisboa

A celebrar 75 anos de actividade, os navios gémeos Creoula e Santa Maria Manuela estão, durante a corrente semana, atracados na Marina do Parque das Nações e abertos para visitas.

Foram construídos em apenas 62 dias, mas com uma tal qualidade que, ainda hoje, viajam e ostentam o peso dos materiais de antigamente. Durante poucos dias, só até ao próximo fim-de-semana, os navios gémeos Creoula e Santa Maria Manuela convidam portugueses e estrangeiros a entrar e a observar como é a vida a bordo de quem faz do mar o ponto de partida.
Antigo bacalhoeiro, o Creoula chegou a trazer para Portugal 700 toneladas de bacalhau da Gronelândia entre 1937 e 1973, data em que abandonou a frota pesqueira portuguesa. Desde aí que a embarcação assumiu a missão de “Navio de Treino de Mar”, mas mais do que isso, este é um navio “Escola de Vida”, conta orgulhoso o comandante Cornélio da Silva que nos acompanhou durante uma visita guiada.