Museu da Eletricidade recebeu 240 mil visitantes em 2015

Museu da Eletricidade recebeu 240 mil visitantes em 2015
O Museu da Eletricidade, localizado junto ao Tejo, em Lisboa, registou 240.711 visitantes em 2015, tendo 123.946 entrado na exposição permanente da Central Tejo, e 116.765, nas exposições temporárias.
 
Contactada pela agência Lusa sobre o balanço de visitantes do museu, em Belém, fonte da Fundação EDP indicou que foram 17 as exposições temporárias realizadas, entre as quais "Afinidades Eletivas -- Julião Sarmento Colecionador", World Press Photo e "7 Milhões de outros".
 
Também foram mostradas, entre outras, "One's Own Arena", de José Pedro Cortes, "Cesariny -- Em Casas como Aquela", "Posto de Trabalho", de Valter Vinagre, Prémio EDP Novos Artistas 2015, "Almada Negreiros: O que nunca ninguém soube que houve" e "1915, o ano do Orpheu".
 
Na programação deste ano, até maio, do Museu da Eletricidade, conta-se desde já a Bienal Internacional de Ilustração para a Infância 2016 (Ilustrarte), que vai abrir ao público na próxima sexta-feira, dia 22 de janeiro, ficando patente até 17 de abril, com obras de mais de 50 ilustradores, selecionados por um júri internacional, no âmbito de um concurso ao qual concorreram 1700 ilustradores de 72 países.
 
A exposição reverte para o projeto Crianças da Síria, da Unicef.
 
A World Press Photo também vai regressar ao museu, de 28 de abril a 22 de maio, para mostrar imagens que marcaram o mundo em várias áreas, da política à sociedade, ao desporto, dos conflitos às questões do ambiente.
 
"Havia um Sino no Meio da Estrada" é o título de uma instalação que vai ser mostrada de 11 março a 22 de maio, inspirada numa viagem que a escultora Inês Botelho e o poeta Diogo Vaz Pinto fizeram à Índia, no âmbito de um projeto do Centro Nacional de Cultura.
 
De 11 de março a 22 de maio, António Bolota, Bruno Cidra, Gonçalo Barreiros e Gonçalo Sena apresentam no Museu da Eletricidade um conjunto de trabalhos escultóricos.
 
Em 2014, o Museu da Eletricidade tinha registado 244.700 visitantes, aquele que foi o maior número de entradas desde a abertura da entidade, em 2006.
 
Instalado no complexo arquitetónico da Central Tejo, antiga central termoelétrica, em Belém, o museu possui uma exposição permanente relacionada com a história do edifício e um espaço onde é apresentada uma programação regular de exposições temporárias.
 
Inaugurado como espaço museológico, em 1990, o Museu da Eletricidade voltaria a encerrar em 2000 para obras de reabilitação e adaptação, reabrindo nos atuais moldes, em 2006.
 
O espaço é parte integrante do património e da estrutura da Fundação EDP, que pertence ao Grupo EDP.