Movimento de cidadãos lembra que beatas também são lixo

Movimento de cidadãos lembra que beatas também são lixo

As beatas também são lixo, mas muitos fumadores deitam-nas para o chão, sujando as ruas e a natureza, comportamento que um grupo de voluntários quer combater, através de sensibilização e da aposta numa forma de reciclar este resíduo.

Depois de deixar de fumar, alguns anos atrás, nos seus passeios a pé por Lisboa, Miguel Faria começou a reparar que havia imensas beatas no chão e que isso era um problema. Resolveu colocar um "post" no Facebook, e recebeu muitas manifestações de interesse na criação de um grupo de trabalho para "fazer alguma coisa" e mudar a situação.

Assim, nasceu o Movimento Portugal sem Beatas que está a participar no Green Festival, iniciativa pela sustentabilidade a decorrer até domingo, no Estoril. O objectivo é angariar voluntários e principalmente alertar para os impactos deste comportamento, nomeadamente no planeta.

"O primeiro objectivo é que as pessoas tomem consciência que as beatas são lixo, por isso tem de ir para o lixo e não para o chão", disse hoje à agência Lusa Miguel Faria.

O mentor do movimento explicou que "a beata tem consequências a vários níveis, ambientais, em relação às pessoas, às crianças; demora 10 a 12 anos a degradar-se, não se degrada na totalidade e decompõe-se em micropartículas que se degradam no mar e na terra, vão parar aos alimentos ou aos animais".

Numa das acções do grupo, em pouco mais de duas horas, 10 pessoas recolheram 12.960 beatas num percurso de 300 metros, num dos lados de uma rua de Lisboa, entre o jardim do Princípe Real e o Miradouro de S.Pedro de Alcântara.

Para mudar a situação, "queremos tornar a beata reciclável, transformá-la num outro produto que seja utilizável para outros fins, queremos que haja pontos de recolha para a beata" em todo o país, e será dirigido às escolas um programa pensado para as crianças, concluiu Miguel Faria.

Segundo estimativas avançadas pelo Movimento, em Portugal, são vendidos mil milhões de cigarros todos os meses, 300 milhões de beatas vão para o chão em cada mês, 10 milhões de beatas todos os dias, sete mil por minuto.