Moradores da Amadora protestam pela reposição da freguesia da Reboleira

Moradores da Amadora protestam pela reposição da freguesia da Reboleira
Um grupo de moradores do concelho da Amadora realiza no sábado uma manifestação para exigir a reposição da freguesia da Reboleira, que foi extinta em 2013, no âmbito de uma Reforma Administrativa do anterior Governo.
 
O protesto é convocado pelo movimento "Pela Reposição da freguesia da Reboleira" e consistirá numa concentração junto à delegação da junta de freguesia na Reboleira, segundo explicou Américo Pereira, da organização.
 
A antiga freguesia da Reboleira foi extinta em 2013, tendo a parte norte sido anexada à Venteira e a parte sul à recém-criada Águas Livres, que integrou também a antiga freguesia da Damaia e a parte norte da Buraca.
 
"Existe um grande descontentamento da população da Reboleira porque as pessoas tinham como adquirido alguns direitos e conseguiam resolver os seus problemas. O desmembramento da Reboleira trouxe muitas consequências negativas", apontou Américo Pereira.
 
O morador explicou que a extinção da freguesia da Reboleira originou o fecho de alguns serviços, nomeadamente do posto dos CTT, do posto da PSP e do centro de saúde e que o facto de ter sido dividida em duas "vai causar confusão aos eleitores, que antes sabiam onde votar".
 
"As pessoas viram-se empurradas ou para a Damaia ou para o centro da cidade da Amadora. Estamos a falar de uma população idosa e com poucos recursos. Antes conseguiam resolver tudo na Reboleira e agora não é assim", queixou-se, acrescentando que "existem já várias queixas sobre esta situação na Câmara Municipal da Amadora.
 
De acordo com os censos de 2011, na antiga freguesia da Reboleira viviam cerca de 14 mil pessoas.