Metro Sul do Tejo volta à greve

Metro Sul do Tejo volta à greve

Maquinistas do Metro Transportes do Sul vão cumprir quatro dias de greve de 24 horas a 24 e 25 de dezembro e 01 e 02 de janeiro, mantendo a greve às horas extraordinárias até 15 de janeiro.

 
"Os maquinistas afetos ao sindicato, que são cerca de 70% da empresa, vão realizar uma greve total nos dias 24 e 25 de dezembro e 01 e 02 de janeiro, uma vez que a empresa continua a recusar negociar", disse à Lusa o presidente do Sindicato dos Maquinistas, António Medeiros.
 
Os maquinistas tinham inicialmente agendado uma greve de três horas por turno na semana de 17 a 21 de dezembro, mas os trabalhadores decidiram "reconverter essa paralisação na greve total", explicou o sindicalista.
 
Além dos dias de greve marcados, António Medeiros disse que os maquinistas vão prolongar a greve às horas extraordinárias, ao trabalho em dias de descanso e após as oito horas de trabalho até 15 de janeiro.
 
Os maquinistas da empresa, que opera um metro de superfície nos concelhos de Almada e Seixal, defendem a negociação do acordo de empresa, de modo a terem o pagamento de subsídios de transporte e de refeição, e reclamam ainda alterações nas escalas de serviço e melhores condições de segurança.