Metro regista o menor número de passageiros no 3.º trimestre

Metro regista o menor número de passageiros no 3.º trimestre

O Metropolitano de Lisboa continuou a perder passageiros no terceiro trimestre de 2013, transportando apenas 31,9 milhões de pessoas, ou seja quase 4 milhões de passageiros a menos do que em 2012 e menos 10 milhões do que em 2011.

De acordo com as estatísticas do INE, este é o valor mais baixo registado desde 2004, quando o Metropolitano de Lisboa transportou quase 44 milhões de passageiros.

Entre julho de 2011 e julho de 2013, o preço do passe mensal para o Metropolitano de Lisboa aumentou 80%, passando de 19,55 euros para 35 euros, tendo acabado também os descontos para estudantes.

Segundo os dados da atividade dos transportes, hoje divulgados, o número de passageiros diminuiu também, entre julho e setembro, no modo fluvial (-3,4%) e ferroviário (-2%), embora tenha registado uma recuperação de 4,2% no Metro do Porto, que foi usado por 12,5 milhões de pessoas.

O número de utilizadores dos metropolitanos de Lisboa e do Porto (44,4 milhões) é superior ao total de passageiros transportados pelos barcos e pelos comboios (38,4 milhões) em todo o país.

O Rio Tejo, que representa 73% do transporte fluvial de passageiros, diminuiu 2,8% no terceiro trimestre, face ao período homólogo, registando apenas um acréscimo de passageiros na travessia Terreiro do Paço-Barreiro.

Quase 31 milhões de pessoas optaram pela deslocação ferroviária no terceiro trimestre, dos quais a maior parte (87,6%) nos comboios suburbanos.

A tendência de redução de passageiros foi menos acentuada (-2%), comparativamente aos trimestres anteriores (-3,3% no segundo trimestre e -13,4% no primeiro trimestre), registando-se um aumento nas ligações inter-regionais (2%), ao contrário das suburbanas (-2,5%).