Metro chega ao Aeroporto

Metro chega ao Aeroporto

Com os 3,3 quilómetros do novo troço do metro, que liga a Gare do Oriente ao aeroporto, a rede do Metropolitano de Lisboa fica sete vezes maior do que quando foi inaugurada, em 1959, com 6,5 quilómetros de extensão.

Na altura, a rede abriu ao público com 11 estações e uma única linha em forma de Y, constituída pelos troços Sete Rios-Rotunda (Marquês de Pombal) e Entrecampos-Rotunda, que confluíam no troço comum Rotunda-Restauradores.

Hoje, o metro tem 55 estações, espalhadas por quatro linhas (amarela, azul, verde e vermelha) numa extensão de 43 quilómetros.

O novo troço da Linha Vermelha, que liga a Gare do Oriente ao aeroporto e que abre três novas estações – Moscavide, Encarnação e Aeroporto –, teve um investimento na ordem dos 218 milhões de euros.

Depois da abertura dessa linha, o Metropolitano de Lisboa tem prevista a extensão Amadora-Este/Reboleira, na Linha Azul, e a criação de uma interface no Terreiro do Paço.

“A intervenção no Terreiro do Paço tem como objectivo a criação de um interface que conjugue os vários tipos de transportes no mesmo edifício, neste caso, metro, barco, autocarro e táxi”, disse a empresa à Lusa.

Irão também decorrer obras nas estações da Baixa-Chiado e Colégio Militar para melhorar as acessibilidades, nomeadamente a “pessoas de mobilidade condicionada”, e a estação do Areeiro será alvo de uma remodelação.

A estação terá um novo átrio e acessos na zona sul da Praça Francisco Sá Carneiro, junto à Avenida Almirante Reis. O átrio já existente será também remodelado, bem como os acessos à superfície.

“Será também aumentada a extensão do cais dos actuais 70 metro para 1,05 metros, por forma a poder receber carruagens de seis composições, tal como já acontece em quase todas as estações da rede do Metropolitano de Lisboa, ficando apenas a faltar a intervenção na Estação Arroios”, indicou a empresa.