Mercedes recusa matricular carros sem cliente para iludir estatísticas

Mercedes recusa matricular carros sem cliente para iludir estatísticas

A Mercedes-Benz garante que não é uma das marcas que está a matricular carros sem cliente final para fins de exportação, ou seja, não está a subverter as estatísticas de vendas de automóveis em Portugal.

"Queremos vender e não criar estatísticas", afirmou Carsten Oder, presidente da Mercedes-Benz Portugal, num encontro com jornalistas em Lisboa, acrescentando que a política da casa-mãe, a Daimler, proíbe os importadores de fazer vendas fora do país.

O presidente da Mercedes-Benz Portugal acrescentou que a marca tem a sua forma de atuar como importador, e que, expurgando este fenómeno, considera que as vendas da Mercedes estão ao nível da BMW e superiores às da Audi.

Segundo dados fornecidos pela Mercedes, a Audi foi a marca que mais exportou ao matricular 5.942 carros em Portugal, mas vendeu apenas para o território 4.785 unidades até setembro do ano passado. Já a BMW e a Mercedes-Benz mantiveram praticamente as suas matrículas em Portugal.

Tendo em atenção a este fenómeno, o Governo alterou no Orçamento do Estado para 2013 as regras do Imposto Sobre Veículos (ISV) de forma a que as marcas de automóveis parem de fazer exportações de carros para destinos que mais não são do que meras transferências para vários países.

Carsten Oder adiantou também que, perante a crise que se prolongará este ano, a Mercedes-Benz não vai fechar "nenhum concessionário" porque começou em 2009 uma nova estratégia de rede. Já em 2010 "fizemos o nosso ajustamento, não havendo necessidade de fechar pontos de venda", garantiu.

O responsável da Mercedes em Portugal sublinhou que a empresa alemã sustenta mais de 2.000 postos de trabalho e considerou que afeta crise também os concessionários, mas resta "ter que lidar com a situação".

Em termos de vendas, Carsten Oder revelou que os modelos compactos da Mercedes (Classe A e B) aumentaram em 30% as vendas enquanto que nos outros modelos caíram 30%, prevendo que, para 2013, o mercado global venda entre 85.000 a 90.000 carros quando em 2012 se atingiram os 95.000.

O presidente da Mercedes-Benz Portugal adiantou esperar "manter a mesma posição em 2013, com a hipótese de aumentar um pouco a quota de mercado com o lançamento do Mercedes CLA, um novo compacto a ser lançado no segundo trimestre deste ano.