Mercedes B 160 CDI: Casamento perfeito entre qualidade e economia

Mercedes B 160 CDI: Casamento perfeito entre qualidade e economia

Os mais puristas ainda mostram algum desconforto. O cidadão comum, potencial comprador de um carro como este, encara com naturalidade o resultado da parceria estabelecida entre a Mercedes-Benz e a Renault para a partilha de equipamentos e tecnologia. A prova está no enorme sucesso de vendas alcançado pelos modelos da marca germânica equipados com as duas variantes (110 e 90 cv) do motor 1.5 dCi da Renault.

 

Este casamento, ao que parece, frutuoso iniciou-se com o lançamento da nova geração do Classe A (na versão 180 CDI, de 110 cv) e alargou-se agora ao Classe B, que surge equipado com a variante menos potente do popular bloco.

Alinhando pelo cepticismo de testar um Mercedes com apenas 90 cv, embora com binário de 220 Nm, pegámos então no novo Classe B 160 CDI. Porém, não precisámos de andar muito para perceber a surpresa positiva manifestada por quem já tinha testado o carro e as virtudes desta aposta.

Quem não sabe, não acredita

Mantendo a qualidade de construção, conforto e habitabilidade do Classe B, a Mercedes conseguiu tornar este num modelo particularmente económico - tanto no preço de venda como nos custos de utilização e, sobretudo, nos consumos. Mesmo assim, este familiar compacto revela uma energia impressionante para vencer trilhos citadinos ou para enfrentar viagens mais longas por auto-estrada, graças a uma caixa de seis velocidades que faz toda a diferença e que dá outra vida ao motor 1.5 dCi.

Ou seja: Quem não sabe, não acredita nos limites de potência anunciados, tal a desenvoltura e agilidade manifestadas.

 

O segredo está no encurtamento das relações mais baixas, favorecendo uma enérgica capacidade de reacção, enquanto a 5.ª e a 6.ª permitem rolar em baixa rotação, com consequente reflexo nos consumos finais.

 

Diga-se que (à excepção do E 300 Hybrid e, claro, do A 180 CDI) nunca tínhamos registado médias de consumo tão baixas ao volante de um Mercedes. Pois, com o B 160 CDI, sem grandes preocupações, conseguimos uma média final de 5,2 l/100 km (não muito longe do 4,1 l/100 km anunciados pelo construtor) após cerca de 500 quilómetros em percurso misto. Para tal, o start/stop também dá uma contribuição preciosa nos circuitos urbanos.

Carro para toda a família

Voltando ao que já é comum no Classe B, é de salientar o espaço interior e os níveis de habitabilidade, mesmo com cinco pessoas a bordo, tal como a capacidade generosa da bagageira (486 litros, que podem aumentar para 1545 com os bancos rebatidos) e os diversos compartimentos de arrumação no habitáculo.

O equipamento de série é bastante completo e a este podemos juntar uma panóplia de extras, entre os quais o sistema de ajuda ao estacionamento, tão popular entre o público feminino, principal alvo deste modelo.

 

Falta referir um dado que faz toda a diferença num segmento bastante concorrido, o preço: Menos de 30 mil euros é um valor demasiado atractivo para um carro de grande qualidade, que é como quem diz, um Mercedes-Benz.

Paulo Parracho