Mercado de Algés abre renovado, com gin tónico, sushi, leitão e outros petiscos

Mercado de Algés abre renovado, com gin tónico, sushi, leitão e outros petiscos
O Mercado Municipal de Algés, o maior do concelho de Oeiras, já abriu as suas portas, um espaço renovado que, além de manter a venda tradicional, tem também uma zona de restauração.
 
À semelhança do Mercado de Campo de Ourique ou do da Ribeira, também agora o Mercado de Algés adotou um espaço moderno de restauração, cuja abertura está prevista para as 20:00 de hoje, com o objetivo revitalizar o comércio e atrair mais visitantes.
 
A decisão da Câmara de Oeiras de concessionar a exploração do Mercado Municipal de Algés teve por base, segundo explicou à Lusa a autarquia, a "constante diminuição da atividade comercial nestes espaços".
 
"A nova área de restauração funcionará como um polo atrativo de novos clientes, renovando clientes, revitalizando o comércio, quer no interior do Mercado de Algés quer no comércio tradicional da envolvente", acredita a autarquia.
 
A Câmara de Oeiras sublinha ainda que todos os comerciantes tradicionais foram envolvidos na solução encontrada e "concordaram com a necessidade de mudança e inovação".
Além disso, a venda tradicional do mercado dispõe agora de um maior espaço de tempo, dando-se a possibilidade de acompanhar o horário alargado de abertura da nova área de restauração.
 
A empresa Naipe d'Emoções foi a vencedora do concurso público de concessão de parte delimitada do Mercado Municipal de Algés.
 
De acordo com a representante do grupo, Vera Brás, as expetativas são de "grande sucesso".
 
"As expetativas são grandes. É um mercado totalmente renovado, por isso só posso pensar no sucesso. Algés estava a ficar bastante desertificado e a nossa proposta será a de puxar pessoas e revitalizar o local, por isso todas as pessoas devem ficar contentes", afirmou.
 
A empresa foi responsável por todas as obras necessárias ao funcionamento da concessão, nomeadamente a adaptação do espaço concessionado destinado a restauração, coberturas das bancas da área de mercado tradicional por forma a preservar as bancas e os comerciantes em horário de funcionamento da área concessionada e construção de novas casas de banho do lado da área concessionada, um investimento que Vera Brás preferiu não revelar.
 
Com 12 bancas de restauração, a nova área do Mercado de Algés permitiu a criação de 100 postos de trabalho.