Memórias de Lisboa patentes no Terreiro do Paço

Memórias de Lisboa patentes no Terreiro do Paço

A história de Lisboa pode ser conhecida a partir de agora no centro de interpretação Lisboa Story Centre – Memórias da Cidade, que abriu portas no torreão nascente do Terreiro do Paço.

“Este é um equipamento muito importante. É uma valorização da nossa história, que é o que nos diferencia em relação às outras. É diferente com o fado, a gastronomia, a luz e a história”, disse o presidente da Câmara de Lisboa na inauguração do Lisboa Story Centre.

António Costa destacou ainda que o centro não é destinado apenas a turistas, mas a todos os portugueses e às crianças em particular por ser também um “importante centro educativo”.

O autarca disse também que com este centro fica praticamente completa a recuperação do Terreiro do Paço.

“É um sonho de gerações. Devolver à cidade todo este espaço que estava reservado a ministérios”, afirmou.

Segundo o presidente da câmara, todos os espaços que surgiram no Terreiro do Paço permitiram a criação de 380 postos de trabalho e “são um fundo de negócios que ajudam a economia da cidade”.

Esses espaços pagam anualmente à Associação de Turismo de Lisboa rendas no valor de 1.800 milhões de euros, indicou António Costa.

O autarca acrescentou que falta apenas recuperar a estátua equestre do Terreiro do Paço, que já está a decorrer, e finalizar o acordo com o Governo que permite instalar o elevador na arcada da Rua Augusta para aquele espaço ficar totalmente recuperado.

O Lisboa Story Centre recria, através de uma “viagem no tempo”, os principais acontecimentos da capital portuguesa.

O terramoto de 1755 é a ‘estrela’ principal do centro, que tem dois pisos e demora cerca de uma hora a ser visto.

Um audioguia – disponível em 10 línguas e versão infantil - ajuda a perceber os seis núcleos que compõem a exposição: ‘Lisboa, Mitos e Realidades’, ‘Lisboa Cidade Global’, ‘1 de Novembro de 1755, o dia de todos os santos’, ‘A visão de Pombal’ e ‘Terreiro do Paço’ no primeiro piso e ‘Lisboa Virtual’ no segundo piso.

Aqui é possível ver num ecrã onde está o mapa da cidade de Lisboa alguns acontecimentos importantes na cidade, como o 25 de Abril, através de imagens, desenhos ou fotos.

No segundo piso há também um espaço dedicado a exposições temporárias.

Num investimento de três milhões de euros, o centro espera a visita anual de cerca de 300 mil visitantes, 70 por cento dos quais estrangeiros e 30 por cento portugueses, nos quais está incluída a visita de escolas.

O bilhete para visitar o Lisboa Story Centre custa nove euros.