Medicina Legal conclui que crianças de Oeiras morreram por intoxicação medicamentosa

Medicina Legal conclui que crianças de Oeiras morreram por intoxicação medicamentosa
Os relatórios toxicológicos realizados pelo Instituto de Medicina Legal (IML) às duas crianças encontradas mortas num carro, em Oeiras, concluíram que os irmãos morreram devido a uma intoxicação medicamentosa, disse hoje à agência Lusa fonte da investigação.
A mesma fonte acrescentou que nos resultados foram encontrados vários medicamentos, nomeadamente benzodiazepinas - um grupo de fármacos ansiolíticos utilizado como sedativo e tranquilizante -, em concentrações suficientes para causar a morte dos menores.
As conclusões do IML vão ao encontro do relatório do Laboratório de Polícia Científica da Polícia Judiciária, que também detetou vestígios do mesmo tipo de medicamentos nos alimentos encontrados junto às crianças, de 12 e 13 anos, a 28 de janeiro.
Na ocasião, a polícia levantou a hipótese de as crianças terem sido envenenadas pela mãe.
Segundo outra fonte contactada pela Lusa, pode considerar-se que, neste caso, e em linguagem corrente, houve um envenenamento por medicamentos, mas a designação correta é intoxicação medicamentosa.
De acordo com esta fonte, os exames e o relatório da autópsia aos menores e à mãe vão ser enviados durante esta semana para o Tribunal de Oeiras.
As duas crianças foram encontradas no interior de um carro, nas imediações da Faculdade de Motricidade Humana, na Cruz Quebrada, Oeiras, tapadas com uma capa amarela.
Não apresentavam ferimentos e no local havia bolos e sumos.
O corpo da mãe foi localizado a pouca distância do carro onde estavam os dois irmãos.