Mazda MX-5 luso visita 25 cidades europeias em 250 horas

Mazda MX-5 luso visita 25 cidades europeias em 250 horas

Lisboa, Coimbra, Porto, Madrid, Saragoça, Bordéus, Le Mans, Paris, Londres, Bruxelas, Leverkusen, Colónia, Frankfurt, Estugarda, Munique, Salzburgo, Garda, Milão, Mónaco, Cannes, Marselha, Barcelona, Valencia, Sevilha e Évora. Foi esta sequência de 25 cidades europeias que João e Afonso Moreira Pires cumpriram entre os dias 8 e 19 de Agosto, no âmbito da iniciativa que abraçaram para homenagear o seu ícone automóvel, o Mazda MX-5, modelo que cumpre este ano o seu 25.º aniversário.

Um projecto denominado “MX-5 - 25 Years / 25 Cities”, de uma viagem de quase 8.000 km, que se pretendia cumprida em 250 horas, e que teve início e final na Praça do Império, em Lisboa, um dos marcos nacionais por excelência da história dos descobrimentos portugueses. Desta feita, os dois irmãos e o seu Mazda MX-5 NA (modelo da 1º geração) apenas quiseram homenagear a Mazda e todos os que conceberam este modelo, o “roadster mais vendido do mundo”, como atesta a respectiva certificação do Guinness Book of Records.

“Se bem que ainda não tenhamos tido muito tempo para assimilar tudo o que se passou ao longo desta autêntica aventura, é-nos muito gratificante observar os diferentes resultados deste projecto”, começa por referir João Moreira Pires.

“Do carinho, incentivos, aplausos e reacções que tivemos ao longo da viagem, aos posts e comentários que temos tido nas redes sociais, nomeadamente no Facebook, só podemos estar satisfeitos”, complementa com visível orgulho.

“Tudo o que temos vivido e lido compensam largamente as restantes questões, nomeadamente o cansaço de uma viagem tão grande feita em tão pouco tempo, todo o árduo trabalho que tivemos para montar este projecto, processo que iniciámos em Fevereiro último e que, agora, se viu terminado.”

 

De Lisboa ao outro lado da Mancha e volta ao continente

Tudo começou pelas 09h00 de Sábado, dia 8 de Agosto, quando os irmãos João e Afonso arrancaram de Lisboa para esta viagem que decerto se tornou memorável, dando início à visita, de uma forma original, às 25 cidades europeias que constavam do seu plano, naquele espaço temporal de 250 horas.

Num processo que podia ser seguido pelo hashtag #25years25cities de quatro plataformas sociais, os primeiros 215 quilómetros desta aventura cumpriram-se entre a capital lusa e Coimbra, a Cidade dos Estudantes, tendo depois a dupla seguido até ao Porto e, daqui, aproximando-se dos primeiros 1.000 km, atingir Madrid, na vizinha Espanha, cidade onde pernoitaram. Pelo caminho tiraram as fotos nos locais mais marcantes, como sejam a Universidade de Coimbra, a Ponte D. Luis e a Praça Cibeles.

No dia seguinte rumaram a Saragoça (foto na Basílica de Nª Senhora do Pilar), “depois da que foi a viagem mais cansativa de todo o percurso, feita, na sua grande maioria, sob temperaturas de 50ºC”, explicou o mais velho dos irmãos. Entraram depois em território francês com Bordéus como objectivo, chegando ao Palais de la Bourse no dia 11. Na noite do dia seguinte atingiram Le Mans, “percorrendo já noite dentro e sozinhos na estrada, partes de um traçado tão importante em termos de desporto automóvel, como a Recta de Mulsanne, o berço da mais importante prova de resistência do Mundo que a Mazda venceu em 1991. Esse feito ficou para a posteridade com uma foto frente à entrada no mítico circuito.

Dali partiram rumo à Cidade Luz, Paris, onde chegaram às 02h00 da madrugada do dia 12 e com o conta-quilómetros parcial do fiável Mazda MX-5 a apresentar 2.454 km cumpridos. Após um breve retemperar de forças e registando o feito frente à Torre Eiffel, nesse mesmo dia viriam a atravessar o Eurotunnel sob a Mancha para Londres, até à Tower Bridge de Londres e ao Big Ben, para logo depois regressarem ao continente, encontrando a bordo “um conhecido DJ – soubemos depois – que nos mostrou fotos do MX-5 que teve em tempos, dizendo-nos estar deveras arrependido de o ter vendido”, e seguirem até Bruxelas, a 10ª cidade desta aventura, parando frente ao Parlamento Europeu e sendo recebidos nas instalações da Mazda Bélgica.

O MX-5 luso nas instalações da Mazda Europa

Da agenda do dia seguinte faziam parte nada menos do que cinco cidades alemãs, “de Leverkusen, onde se localiza a sede da Mazda Europa e onde fomos excelentemente recebidos por responsáveis da marca e almoçámos, a Colónia (Ponte de Holenzollern), Frankfurt (sede da KPMG), Estugarda (Museu Automóvel) e, finalmente, Munique, com a imagem a registar-se frente ao estádio de futebol Allianz Arena”.

Por esta altura, os dois irmãos já haviam percorrido 4.200 km, registando apenas dois pequenos problemas no seu Mazda MX-5, “um num braço de suspensão ainda em Madrid, resolvido por um mecânico local, e outro em Bordéus, relacionado com um mau contacto que fazia acender a luz do alternador, algo que nos fez perder algum tempo mas que não colocou em risco a viagem.

Adicionalmente, para além do controlo dos níveis do óleo que íamos fazendo, mudámo-lo na totalidade na Alemanha”, explica João Moreira Pires. Não fora isto e seria apenas necessário colocar combustível e lavar a cara ao carro, antes de se arrancar para novo destino.

Daqui a Salzburgo, na Áustria, foi ‘um pulinho’, cidade em que o Mazda MX-5 ficou com o Rio Salzach por trás frente à objectiva, antes de darem início à subida aos Alpes, repletos de neve em pleno Agosto, numa das viagens mais bonitas desta maratona. “Saímos da Áustria sob tempo muito cinzento, com muita chuva, pelo Passo dello Stelvio, tendo entrado num dos túneis que atravessam aquela cadeia montanhosa, com o nosso espanto de que do lado italiano nos esperava um sol esplendoroso e uma paisagem verdejante, quase parecendo que tínhamos atravessado um portal, atingindo um dos locais onde tivemos uma das recepções mais calorosas”. A dupla rumou depois até Garda, fazendo a foto da praxe no Castelo de Sirmione”.

Com dormidas de fugida e a alimentação possível dadas as circunstâncias – o cronómetro não lhes deu descanso – faziam-se de novo à estrada, rumando a sul, até Milão e a sua catedral. Nesse mesmo dia 17 alcançavam o Mónaco, do Principado com o mesmo nome, ali concentrando as atenções dos muitos turistas e multi-milionários com o seu pequeno Mazda MX-5 de matrícula portuguesa, estacionado lado a lado frente ao conceituado Casino com modelos super-desportivos e de luxo dos mais reputados construtores internacionais. O mesmo aconteceria na Marina de Cannes, a capital do cinema europeu e a 20ª cidade desta aventura, então com 5.459 km já cumpridos.

 

O regresso a casa exactamente 250 horas depois

No programa do dia 18, o penúltimo da iniciativa “MX-5 - 25 Years / 25 Cities”, constavam as cidades de Marselha e o seu Vieux Port, sendo a última em França, e Barcelona, com a foto da ordem junto à Igreja da Sagrada Família, para no dia seguinte rumarem a Portugal, com passagens pelas cidades espanholas de Valencia (Ciudad de las Artes y Las Ciencias) e, antes de passarem a fronteira e chegarem ao Templo de Diana, em Évora, cumprindo aqui um total de 7.514 km.

Cerca de 200 quilómetros depois e o Mazda MX-5 dos irmãos João e Afonso Moreira Pires terminava a aventura de novo junto ao Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, onde chegaram pelas 19h00 do dia 19 de Agosto, exactamente 250 horas depois de dali terem saído para deixar a sua marca pelas 25 cidades dos nove países atravessados, espelhando-o nas redes sociais: Facebook (www.facebook.com/25years25cities), Twitter (www.twitter.com/25years25cities), Instagram (www.instagram.com/25years25cities) e YouTube (www.youtube.com/user/25years25cities).